Tudo o que você precisa saber sobre revisão de conteúdo da OAB

Tudo o que você precisa saber sobre revisão de conteúdo da OAB

A preocupação em melhorar os estudos para a OAB e estabelecer um ritmo forte e contínuo de aprendizado acompanha todo candidato. Sempre surgem dúvidas sobre a escolha do curso, a quantidade de horas a se dedicar, como obter os melhores materiais e assim por diante.

Porém, não é só o domínio das disciplinas que garante o sucesso de um indivíduo em qualquer exame. Além de compreender o que se está estudando, exercitar o processo de memorização é um requisito indispensável para que gradualmente as matérias sejam fixadas e não aconteça nenhum branco na hora da prova.

Parece um desafio muito complicado, não é mesmo? Mas, para evitar possíveis armadilhas, elaboramos um post com algumas dicas preciosas sobre tudo que você precisa saber para fazer uma revisão de conteúdo para prova da OAB. Confira!

Qual a importância da revisão de conteúdo?

A técnica de revisão é uma prática de extrema importância para se alcançar bons resultados ao realizar a prova de 1ª fase da OAB, assim como qualquer processo avaliativo. Isso porque entre as formas mais eficientes de estimular o cérebro está a memorização, o que acontece com o ato da repetição.

Ao estudarmos, uma parte do nosso cérebro chamada hipocampo é impulsionada. É a área responsável pela memória. Porém, essa estrutura apresenta falhas de armazenamento e nem todas as informações conseguem ser registradas, mas o desempenho pode ser melhorado a medida em que é exercitado.

Então, se você quer fixar os conteúdos, a maneira correta de agir é fazendo a repetição espaçada, ou seja, reiterá-los em períodos diferentes. Mas cuidado! Revisar não significa ler e reler as matérias exaustivamente, e sim fazê-lo de forma gradativa e coordenada.

Por exemplo, se você aprende uma informação nova hoje, a logística deve ser: revisitá-la dentro de 24 horas, depois estudar novamente após alguns dias, semanas e assim por diante. O segredo está em estimular o cérebro a recuperar a informação registrada de tempos em tempos. Isso evita que ela seja esquecida.

Como há interação com grande volume de conteúdos, para fechar o seu ciclo de aprendizado da maneira apropriada, é fundamental estabelecer períodos de descanso, pois são muitas coisas novas sendo absorvidas, e a mente começa a filtrar boa parte das coisas, talvez deixando de armazenar fatores relevantes.

O segredo para um armazenamento eficiente também está no descanso. Por isso, é recomendado dar uma pausa para refrescar e esvaziar a cabeça, com a finalidade de que ela recupere o seu potencial máximo. Estudar por muitas horas seguidas, sem nenhum intervalo, não é o caminho mais favorável para quem deseja alcançar a vitória.

Como montar um cronograma de estudos?

Quando o assunto é revisão de conteúdo para 1ª fase do exame da Ordem, engana-se quem imagina que tal prática apenas deve ser feita nos últimos dias que antecedem a prova. Ao contrário, ter um cronograma de revisão funciona como excelente aliado para conseguir a aprovação. Um esquema para rever todos os temas pode seguir os passos a seguir.

Diariamente

A regra é que, ao final de cada novo assunto estudado, sejam reservados alguns minutos para rever as anotações. Assim, após assistir às aulas, o que geralmente é feito por 3 a 4 horas, o recomendado é fazer uma leitura atenta dos principais pontos antes de passar para uma nova matéria.

O ideal nesse momento é, se possível, também resolver algumas questões. Infelizmente, não são todos os alunos que têm a possibilidade de revisar o conteúdo imediatamente após as aulas, mas isso não é motivo para desanimar. Ainda será muito válido fazer a revisão em outro período do dia. O mais importante é ativar a mente de forma constante.

Finais de semana

Reservar uma parte do final de semana para estudar tudo aquilo que foi visto durante os outros dias é uma das melhores práticas para fixar as informações. Por esse motivo, o quanto antes o processo for iniciado, mais forte será a sua base e menores as chances de haver acúmulo de matérias.

Mensalmente

Um dos piores sentimentos de quem está em fase de preparação para o Exame da OAB ou algum outro concurso é a sensação de ter esquecido um conteúdo já estudado. E não queremos que nada abale a sua confiança!

Dessa forma, programe uma data de cada mês para que os temas abordados nos últimos 30 dias sejam revistos e permaneçam frescos na sua memória. Lembrando-se sempre de também resolver exercícios.

Periodicamente

A medida em que o estudo avança, é interessante agendar revisões periódicas — que englobem os conteúdos analisados desde quando você começou a estudar. Isso pode ser feito a cada dois, três ou quatro meses, a depender do tempo que você tem antes da prova.

Ao concluir o conteúdo programático do edital

Após finalizar todos os tópicos previstos no edital ou, pelo menos, a parte que você se propôs a estudar, é hora de fazer a revisão geral, isto é, revisitar tudo aquilo que foi aprendido desde o início. E nesta etapa, mais do que nunca, é preciso combinar a teoria com a resolução de questões.

Onde encontrar provas anteriores para a revisão de conteúdo?

A principal fonte em que você encontrará os exames antigos para revisão de conteúdo é no site da própria banca organizadora — FGV (Fundação Getúlio Vargas). Lá estão disponíveis todas as provas que já foram aplicadas e os respectivos gabaritos. Você pode acessar todo o acervo, sem ter que pagar nada por isso.

Normalmente, os cursos preparatórios também oferecem esse tipo de material em suas páginas na web. Alguns deles inclusive fornecem respostas comentadas sobre cada questão. No YouTube também encontramos vários vídeos de resolução de provas da OAB com comentários.

Quais são as 11 principais dicas de revisão?

1. Conhecer bem a estrutura da prova

O ponto de partida para uma boa preparação de 1ª fase da OAB e sua respectiva revisão é conhecer bem a estrutura que a banca organizadora, no caso a FGV, adota para suas questões.

Estar familiarizado com o formato da prova da Ordem vai ser determinante para definir a sua metodologia de estudo, bem como estruturar as prioridades entre os conteúdos a serem estudados. Dominar o perfil da prova lhe permitirá saber os tópicos mais cobrados pela FGV dentro de cada disciplina.

A 1ª fase do exame da Ordem é composta por 80 questões objetivas, das quais o candidato deve acertar o mínimo de 50% e que abrangem 17 disciplinas trabalhadas ao longo do curso de graduação em Direito. São elas:

  • Ética — 8 questões;
  • Filosofia — 2 questões;
  • Direito Constitucional — 7 questões;
  • Direitos Humanos — 2 questões;
  • Direito Internacional — 2 questões;
  • Direito Tributário — 5 questões;
  • Direito Administrativo — 6 questões;
  • Direito Ambiental — 2 questões;
  • Direito Civil — 7 questões;
  • Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) — 2 questões;
  • Código de Defesa do Consumidor (CDC) — 2 questões;
  • Direito Empresarial — 5 questões;
  • Direito Processual Civil — 7 questões;
  • Direito Penal — 6 questões;
  • Direito Processual Penal — 6 questões;
  • Direito do Trabalho — 5 questões;
  • Direito Processual do Trabalho — 6 questões.

O indicado para definir qual é o melhor caminho para superar esse desafio é que o candidato analise e resolva de início as duas últimas provas aplicadas pela Fundação Getúlio Vargas — isso servirá de termômetro para saber o quanto se está preparado, os seus pontos fortes, as matérias que necessitam de uma atenção especial e, principalmente, qual é o estilo adotado pela banca organizadora.

Ao longo do seu processo de estudo, você naturalmente resolverá um grande número de questões de outros exames mais antigos. Porém, nesse momento inicial, é importante pegar os dois últimos para estabelecer uma autoavaliação, porque eles representam parâmetros mais próximos da sua realidade.

O objetivo é explorar as tendências que a banca vem seguindo atualmente e que muito provavelmente também serão utilizadas na sua prova. A partir desse diagnóstico prévio, será possível determinar suas prioridades.

2. Ter foco e estudar por meio dos exercícios de provas anteriores

Manter o foco é a base para a produtividade da sua revisão e do processo preparatório como um todo. Nessa fase, cada minuto é precioso em direção ao sucesso da aprovação. Logo, para melhor aproveitar o seu tempo de estudo, lembre-se de tudo que possa representar algum tipo de distração e elimine da sua rotina. Aposte em ações como:

  • procurar um ambiente tranquilo;
  • desligar a TV;
  • evitar de mexer no celular;
  • ficar longe das redes sociais;
  • reservar o material diário com antecedência, a fim de evitar a necessidade de levantar com frequência;
  • preparar algum lanche e reservar água.

A ideia é fazer de tudo para simular o dia da prova e treinar para manter o foco durante 5 horas, que é o tempo do Exame. Assim você também estará se preparando biologicamente para o dia decisivo.

Como mencionado, a resolução de provas anteriores também é crucial na etapa de revisão. Além de refrescar os conteúdos na sua memória, os candidatos já se preparam para as dificuldades que estão por vir.

Para melhor aproveitar o seu tempo, é interessante resolver s exames antigos como se realmente estivesse fazendo a prova oficial. Cronometre o tempo gasto em cada questão e o total para resolução da prova.

3. Monte um cronograma de estudos factível

O primeiro passo para montar um bom cronograma de estudos é que ele seja viável. Não adianta criar uma agenda muito rígida, programar horas de estudos além do que você pode suportar e não conseguir cumpri-lo — isso apenas fará com que você sinta frustração e aumentará o seu nível de estresse pela quantidade de matérias acumuladas.

Essa regra de ouro também se aplica ao procedimento de revisão de conteúdo. O ideal é que sejam revisadas duas matérias por dia, mas a quantidade de horas vai depender muito da rotina do candidato.

Para as pessoas muito atarefadas, que precisam conciliar o trabalho ao estudo, a dica é utilizar alguns momentos ociosos para fazer leituras, rever conteúdos. É aproveitar, por exemplo:

  • o tempo enquanto aguarda numa fila de banco;
  • a sala de espera de um consultório;
  • os minutos ou horas perdidas no transporte coletivo, entre outros.

O objetivo é tornar esse “tempo morto” uma oportunidade de ativar a sua mente transformá-lo em algo produtivo. Também não adianta querer esgotar todo o conteúdo em um único dia e não ter mais ânimo para continuar.

4. Consultar materiais ricos, confiáveis e atualizados

Depois de se certificar sobre as características da prova e de planejar um cronograma de estudos, é hora de adquirir o material apropriado às suas necessidades, e eles o acompanharão inclusive na fase de revisão.

Nesse contexto, você encontrará itens a partir de inúmeras fontes, mas acima de tudo é importante optar por um material atualizado, completo e que tenha sido elaborado por especialistas da área.

Aqui também é válido que o candidato leve em conta a didática do material — se a linguagem utilizada pelos autores é de sua compreensão, isto é, não faz muita diferença ter um conteúdo completo mas com a linguagem muito difícil, que fará você perder muito tempo com a compreensão da matéria.

Outra dica muito valiosa não somente para conteúdos escritos, mas em especial para a utilização de materiais encontrados na internet, como a resolução de simulados, é atentar-se ao fato de que esses conteúdos podem abordar informações ultrapassadas, assuntos que já sofreram modificações. Portanto, não esqueça desse detalhe!

5. Administrar bem o tempo de estudos

Um aspecto-chave de uma preparação satisfatória é a capacidade de gerenciar o seu tempo de preparação — é impossível dominar todo conteúdo previsto no edital e, por isso, dedicar o mesmo período a cada uma das matérias não está entre as melhores táticas de estudo.

Em se tratando de fase de revisão, esse detalhe é ainda mais importante — o lema é reservar o seu precioso tempo para os tópicos de maior relevância. Afinal, há disciplinas com apenas 2 questões e outras com 10.

Ainda nesse quesito, haverá conteúdos em que o aluno tem maior facilidade de aprendizado e outros temas com os quais não se tem muita afinidade. E a tendência é atrair-se pelas que mantém maior afeição.

Contudo, essa não é uma estratégia recomendada. Ao contrário, se há mais dificuldade em determinado ponto, é preciso que seja reservada uma atenção maior para compreender os maiores obstáculos.

Também vale observar que, na prova da 1ª fase, algumas matérias tidas como mais fáceis, a exemplo de Filosofia e Ética, tiveram o número de questões reduzido, o que consequentemente aumentou a ocorrência de disciplinas mais complexas, como Direito Tributário, Direito Processual Civil e Direito Processual Penal.

6. Faça anotações

A ideia é que a revisão de conteúdos seja mais rápida, em comparação a quando se estuda o assunto pela primeira vez. Por essa razão, o hábito de revisar deve ser construído desde o primeiro dia de preparação. Uma boa estratégia é elaborar um resumo em que as peças-chave de cada tema sejam destacadas.

Na hora de produzir um resumo, não se esqueça de destacar conceitos, palavras-chave, fórmulas, palavras mais importantes da frase, enfim, tudo que for favorável para se obter um mapa mental — é ele que aumentará a eficiência dos seus estudos.

O uso de canetas de cores diferentes, marcadores de texto e outros recursos para ampliar o poder de fixação da mente também faz parte das medidas de aprendizado. Em determinados casos, os próprios materiais já contam com marcação por negrito e outras ferramentas para facilitar a escaneabilidade do texto durante a leitura. Mas vá além! Use a criatividade e aumente a sua capacidade de fixar a matéria.

7. Procure se lembrar antes de revisar

O exercício de tentar se lembrar de um assunto antes de revisá-lo é chamado de processo de recuperação de memória e pode ser um fator decisivo para o estudante, já que no momento da prova é necessário contar apenas com o que ficou na mente.

Então, para deixar o seu cérebro bem afiado, a dica é, antes de começar a revisão, escrever tudo que você se lembra a respeito do tema em um papel. Essa é a forma mais eficiente de treinar o cérebro para recuperar informações construídas anteriormente.

8. Não faça revisões muito longas

Outro fato curioso sobre a revisão de conteúdo diz respeito ao período destinado a cada matéria. No geral, as revisões não podem ser longas. A média ideal é dedicar à revisão de 15% e 20% do tempo que você levou para aprender determinado conteúdo.

Ou seja, se você estudou Processo Penal por 2 horas, por exemplo, devem ser gastos de 18 a 24 minutos na revisão desse tema. E isso só será possível se a primeira etapa tiver sido feita da maneira correta — com anotação dos aspectos principais e utilização de recursos que auxiliem na memória visual, como os mapas mentais.

9. Optar por um curso preparatório com materiais ricos

A escolha do curso preparatório também é uma etapa elementar, pois pode repercutir de modo positivo ou negativo nos seus estudos. É preciso haver conexão entre a linguagem e a metodologia utilizada pelo curso e o candidato.

Nessa decisão, é preciso avaliar igualmente:

  • a qualidade do material disponibilizado;
  • a carga horária proposta;
  • a harmonia do ambiente;
  • as funcionalidades virtuais.

Antes de fechar com qualquer curso preparatório, é indicado observar todos esses pontos, pois cada pessoa tem um perfil diferente e vai se adaptar melhor a certos tipos de metodologias e ambientes.

Não se trata apenas de uma análise objetiva do melhor ou pior curso, e sim das condições que se encaixam às suas expectativas. Outro detalhe: nem sempre o curso mais caro vai ser o melhor e mais completo para você. Tenha isso em mente.

10. Participe de maratonas de revisão

Para encerrar a sua fase de preparação de maneira bem-sucedida, ainda temos uma dica preciosa — participar das maratonas de revisão ao vivo promovidas pelo Saraiva Aprova.

A Maratona de 1ª Fase do Saraiva Aprova já aprovou mais de 120 mil pessoas no Exame de Ordem! Reformulamos ela recentemente, de acordo com as solicitações e necessidades de quem irá prestar o Exame. A Maratona OAB está mais acessível e mais completa do que antes! Serão 2 semanas de uma mega revisão com os melhores professores em aprovação no Exame da OAB do Brasil!

Nessa oportunidade, todas as disciplinas são abordadas, e o que é ainda melhor: tudo isso completamente grátis. É possível assistir a aulas teóricas, aulas exclusivas de resolução de questões, um intensivão de Ética e muito mais. Ademais, muitos assuntos contemplados nessas grandes revisões já caíram na prova. Portanto, é uma chance única, e vale muito a pena investir o seu tempo e dedicação.

Nos últimos dias que antecedem o Exame, é natural que o candidato tenha que lidar com uma grande pressão provocada por cansaço, ansiedade e medo de não obter o resultado esperado. E fazer parte desse evento é um ótimo passo para retomar o foco.

Você receberá o combustível que faltava para continuar firme até o fim, intensificando os estudos conforme as dicas oferecidas nas aulas ou reforçando pontos aos quais você não tenha dado a devida importância. É um modo de fixar de forma definitiva o que você não pode ir para a prova sem saber.

11. Procure relaxar na véspera da prova

Véspera de prova, finalizado seu cronograma de estudos e revisão, é hora de se desligar um pouco de tudo. Esse é o momento de relaxar e descansar a sua mente para o grande dia. Mesmo que a ansiedade esteja falando mais alto, saiba que é um grande erro tentar assimilar informações até o último instante.

Por todos os motivos aqui apresentados, conclui-se que a revisão de conteúdo é um hábito que deve fazer parte da preparação de qualquer indivíduo, seja para a 1ª ou 2ª fase da OAB. É por meio desse método que se alcança a memorização necessária para sedimentar as informações importantes na nossa mente.

No fim das contas, a revisão de conteúdo é um dos elementos-chave para que a dedicação alcance resultados certeiros. Afinal, não é o número de horas que deve ser a maior preocupação de um candidato, e sim a qualidade do estudo.

Viu como essas dicas poderão ajudar no seu desempenho no Exame da Ordem? Agora que você já conhece o passo a passo das melhores estratégias de revisão, aproveite para baixar o nosso Guia dos conteúdos mais cobrados pela OAB! Bom estudos!

Avatar

Autor:

20 comentários em “Tudo o que você precisa saber sobre revisão de conteúdo da OAB”

  1. e um projeto de grande importância, para nos acadêmicos, estão de parabéns, só tenho a agradecer a oportunidade, muito obrigado e continue com esse projeto.

  2. Agradeço a excelente oportunidade de revisão das matérias para prestarmos OAB com mais tranquilidade mediante a todo aprendizado no aprova saraiva.

  3. Tudo que precisava para obter êxito nessa longa caminhada.
    Embora venha estudando, mas não havia assimilação dos conteúdo com perfeição e sabedoria para acertar do dia x.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *