Bate-papo ao vivo: Cronograma de estudos OAB

No início de 2018 o Saraiva Aprova realizou um bate-papo ao vivo e gratuito para ensinar todos aqueles que farão a 1ª fase da OAB a como montar um cronograma de estudos.

O evento foi incrível e contou com mais de 5 mil participantes. Mas se você não pode assistir ao vivo, não se preocupe. Aperte o play e confira todas as dicas:

Quer ler o conteúdo ao invés de assistir? Não se preocupe! Transcrevemos todo o conteúdo pra você:


Dani: Oi pessoal! Boa noite! Sejam muito bem-vindos ao nosso webinar, espero que vocês aproveitem bastante. A gente preparou muitas dicas muito, muito, muito legais. Mas antes vamos nos apresentar, né, Let? Para quem não me conhece, meu nome é Dani, eu faço parte da equipe do Saraiva Aprova.

Letícia: Gente, eu sou a Letícia. Interage aqui com a gente. A gente está lendo os comentários aqui na página.

 

 

Dani: Então, vamos começar aí nosso conteúdo? Continuem interagindo com a gente. Pode mandar as suas dúvidas, suas perguntas, a gente vai respondendo ao longo da transmissão, lembrando que duas dicas bônus ao final, e fique atento para a nossa surpresa, beleza? Então vamos lá, pessoal. A primeira dica, antes de a gente entrar nas nossas dicas mesmo, é: “ah, vou fazer um cronograma de estudos, que legal, vou gastar um tempão. Vou fazer num papel lindo e colorido. Eu vou fazer uma planilha dinâmica que vai fazer isso e vai fazer aquilo e vai ser incrível”, mas de nada adianta você ter um cronograma lindo no papel e não estudar e não usar o seu cronograma. Então se você já está aqui pronto para fazer o seu cronograma de estudos, pense: “esse é o primeiro passo que eu tenho que dar para a minha aprovação, mas eu tenho que estudar”. O cronograma em si não faz milagre, não é o ato de montar um cronograma que vai te fazer aprovado na OAB. Ele vai te ajudar nesse caminho rumo a aprovação. Mas então anota aí, gente, a primeira dica é: cronograma é feito para seguir, não para decorar.

Dani: Certo? Outra coisa: o seu cronograma de estudos deve ser possível. De nada adianta eu virar para você e falar assim, “olha, você tem que estudar cinco horas por dia ou oito horas por dia ou 35 horas por dia”, que nem existe, né? Não adianta você se propor a fazer uma coisa que não é possível dentro da sua realidade. Então monte um cronograma real. Um cronograma de cinco horas, que você não vai conseguir cumprir, só vai servir pra você se desmotivar sempre porque você nunca vai conseguir cumprir aquele cronograma, aí você vai começar a pensar, “nossa, mas não adianta, nada do que eu faço dá certo. E hoje eu estudei pra caramba e não consegui terminar as coisas do meu cronograma”. Então monte um cronograma dentro da sua realidade, seja ela de quantas horas for, de quantos dias por semana for. O que a gente vai fazer aqui é dar as dicas para um cronograma ideal, mas sinta-se livre para adaptar esse cronograma dentro da sua realidade. Outro ponto muito, muito, muito importante. Então já falamos que o cronograma, ele deve ser possível e real de ser feito e ele tem que estar de acordo com a sua rotina. Outra questão. O seu cronograma de estudos é apenas seu. Por quê? Porque eu não tenho a mesma dificuldade que você, a Letícia não tem a mesma dificuldade que você. Então pode ser que eu seja excelente em ética e um terror em penal ou que você seja ótimo em civil e péssimo em tributário. Então o seu cronograma é seu. Por isso que a gente aconselha: não baixe cronograma pronto por aí. A gente até, no curso do Saraiva Aprova, envia um cronograma para vocês, mas ele é uma base para que você possa pegar aquilo dali e adaptar dentro das suas necessidades. Então o cronograma tem que ser seu, baseado naquilo que você tem dificuldade. Se você vai optar por alguma coisa pronta ou encontrar alguma coisa já feita na internet ou até o nosso próprio cronograma exclusivo para alunos, pega aquele cronograma e adapta para a sua realidade e para as suas disciplinas preferenciais.

O seu cronograma de estudos deve ser: possível de ser feito; deve ser exclusivamente seu, baseado nas suas necessidades e naquilo que você precisa; e ele tem que ser seguido, de nada adianta fazer um cronograma, sendo que eu não vou estudar. Até aqui certo?

Então vamos lá. Aí tem gente que fala assim, “ah Dani, mas como que eu monto um cronograma personalizado?”, não é só eu chegar lá e colocar um tanto de matéria aleatória e é isso aí. Se o cronograma tem que ser só meu, se é muito importante eu saber as minhas dificuldades, as coisas que eu sou melhor e tudo mais, como que eu vou ficar sabendo disso? Então, existem dois caminhos. Se você veio de uma reprovação recente, por exemplo, você acabou de fazer essa última prova e não foi aprovado na primeira fase, você já tem ali uma prova do que que você é bom e do que você é ruim. Ou seja, pegue a sua prova do último exame e olhe todas as disciplinas, “quais disciplinas eu tirei mais de 50%, quais disciplinas eu tirei menos de 50% de aproveitamento”. E é muito legal você olhar na sua prova antiga, por quê? Porque é o diagnóstico mais real que você vai ter do seu desempenho. Porque quando você faz uma prova da OAB, não é só questão de teste de estudo. É teste de controle emocional, de controle de tempo. Então você vai ter uma noção real de como que está a sua preparação para a OAB olhando a sua prova antiga e observando porque que você não obteve a aprovação. Para quem vai fazer o primeiro exame, já vai fazer arrasando porque vai passar, a dica é: façam simulado. E aí você vai me falar, “ai, mas onde eu encontro simulado? Tem muita gente que paga pelos simulados. Eu não quero pagar para fazer um simulado”. Não se preocupe. A gente fez um simulado gratuito para você, ele vai estar disponível amanhã bem cedinho, a gente vai mandar por e-mail para todo mundo que se inscreveu aqui no nosso bate papo. E aí o que que você vai fazer? Você vai separar um dia, e aí por que que eu digo separar um dia? O simulado tem que ser feito como se fosse o dia da própria prova. Então você tem que separar cinco horas de um dia, ou de um sábado ou de um domingo, ou se você tem a tarde livre, uma tarde, ou uma manhã, para fazer como se fosse exatamente o dia da prova. O que que isso significa? Que você vai desligar o seu celular, o máximo que você vai fazer é deixar ele bem longe com o despertador para você saber quando as cinco horas acabaram. Você vai pedir para que ninguém te incomode, você vai se trancar no quarto, e é isso aí. Você já vai deixar separado os seus lanchinhos para que você consiga regular até o tempo que você tem para comer durante a prova, as suas idas ao banheiro. Então quando você for fazer um simulado, ele deve realmente ser um simulado da hora da prova. Você não pode tratar ele como “ah, vou fazer questões”, e aí você pega um simulado para fazer. E esse… e é com base nesse simulado que você vai fazer exatamente aquilo que eu falei, que quem acabou de vir de uma reprovação vai fazer. Fez o simulado? Olha todas as disciplinas e pensa, “quais eu tirei mais de 50%? Em quais eu tirei menos de 50%?”. As que eu tirei mais de 50%, significa que eu estou indo bem, que às vezes eu tenho um domínio bom dessa matéria. As que eu não fui tão bem, já são o meu ponto de atenção. Então só para a gente já ir dando uma recapitulada, hein? Cronograma possível, apenas seu, façam simulado ou analise a sua prova anterior para você conseguir saber as suas principais disciplinas ali de dores, que precisam de uma atenção maior. E aí lembrando que amanhã de manhã a gente já vai ter um simulado no seu e-mail. 

E aí outra coisa que é muito importante de falar, antes da gente começar a organização do seu cronograma em si. Quebre todos os preconceitos que você tem com algumas disciplinas. Às vezes você teve um professor na faculdade que te deixou com trauma de processo civil, você fala, “nossa, processo civil, eu não gosto nem de ver, meu Deus do céu, ai, ai, ai”, mas quebra isso, porque processo civil é importante para a prova da OAB, então você vai precisar estudar essa disciplina. Ou tem gente que fala, “nossa, eu não consigo tributário de jeito nenhum, porque se eu fui fazer direito, é porque eu não queria conta, então para que direito tributário na minha vida?”. Gente, todas as disciplinas são importantes para o exame da ordem, ainda mais pensando em um exame que tem como característica, desde as últimas três provas, a interdisciplinaridade. Então às vezes você ama direito penal e não dá nenhuma bola para estatuto da criança e do adolescente ou não gosta muito de direitos humanos, aí você fala, “ah, você quer saber? Essas disciplinas caem poucas questões, eu não vou dedicar meu tempo de estudos para uma coisa que eu não gosto e que cai pouco”, aí você chega lá na sua prova e tem uma questão de direito penal, que exige um conhecimento interdisciplinar com direitos humanos. Se você não estudou direitos humanos, você vai ter muito mais dificuldade para fazer aquela questão. Então quebre todos os seus preconceitos com relação às disciplinas, esquece os momentos que você viveu com todas elas e comece uma história nova. E aí se você sabe que “nossa, direito civil é muito difícil para mim, eu não consigo entender nada, ler é muito estranho, eu leio, leio, leio e no final das contas eu não entendi nada”, procure outras formas de estudar direito civil. Vai fazer exercício, vai ver uma videoaula, vai ver um esquema, vai ler um mapa mental. Então é importante estudar todas as disciplinas, principalmente por causa da interdisciplinaridade, e aquela coisa: cada ponto conta, na aprovação cada ponto é essencial. Então o cronograma que a gente vai montar aqui é baseado em estudos das 17 disciplinas, beleza?

Letícia: Bom gente, ó, então, a Dani falou a importância de você identificar seus pontos fortes e seus pontos fracos dentre as 17 disciplinas que você encontra na prova, né? Então vamos aprender de fato a montar esse cronograma, tá? Então a primeira pergunta: “quantas horas de estudo eu vou fazer por dia?”. Bom, primeira dica: quantidade e qualidade nem sempre se misturam. A gente tem mania de achar que quanto mais tempo a gente dedicar em cima daquele mesmo assunto, mais a gente vai ter conhecimento, mais a gente vai aprender sobre ele. Nem sempre isso é verdade. Porque se você está estudando ali cinco, seis horas seguidas, seu cérebro já está lá em Nárnia, você já está entrando no Facebook, você já está querendo olhar seu Whatsapp, você vai ver o que que seu cachorrinho está mordendo, que que as crianças estão aprontando, né, Dani? Então assim, o nosso cérebro, querendo ou não, ele acaba sabotando a gente quando a gente fica horas ininterruptas no mesmo assunto ou na mesma disciplina. Então a falta de concentração é o mal do século. Então a gente vai driblar isso no nosso cronograma, beleza? Então vamos para a nossa primeira premissa: “quanto menos tempo eu tenho, melhores são os meus resultados”. Não use como desculpa o seguinte fato: “ah, eu trabalho, eu faço estágio, eu tenho que cuidar das crianças, foi por isso que eu não passei na OAB, porque eu não tenho tempo para estudar”. Gente, não. Se você tem 30 minutos, estude, se você tem uma hora, estude. O seu tempo, assim, em questão de tempo, isso não indica nada, o que vai indicar é a qualidade, o quanto você vai estar focado naqueles seus 30 minutos, uma hora, beleza? Então tempo e concentração é o que importa. E o que que a gente indica então para montar esse cronograma? Três a quatro horas por dia. A gente indica isso, professor e o nosso coaching, Marcelo Hugo, indica isso também no livro dele, no Saraiva Pod. E por que três ou quatro horas diárias de estudo? Porque esse é o tempo que a gente já está acostumado desde quando a gente é criança, né? Quando a gente estuda por turno, de manhã, de tarde, enfim, você tira a hora do recreio, por exemplo, sobra o quê? Três ou quatro horas diárias de estudo. Então vamos levar isso como verdade, beleza? Tente montar seu cronograma com três ou quatro horas diárias de estudos. Mas o pulo do gato então, gente, não é o tempo de estudo em si, mas como que você vai utilizar esse tempo. Isso aí a gente vai para o próximo assunto, mas antes eu quero fazer um alerta, tá? Quando você estiver estudando, desligue as notificações do seu celular, desativa o barulhinho do seu computador, fala para todo mundo que está na sua casa que você está ali estudando, você quer ficar focado, beleza? Leve a sério o seu tempo de estudos, ok? Vamos lá então. Ah, uma outra dica aqui. A gente está falando três ou quatro horas diárias de estudo, mas se você não tem esse tempo, se você tem, sei lá, como eu falei, meia hora, uma hora, duas horas, não importa, tá, gente? Dedique o tempo que você tem e faça valer a pena esse seu tempo, ok? Então vamos para o próximo ponto: “quantas disciplinas que eu vou estudar por dia?”, “ok, eu tenho três a quatro horas diárias de estudo, quantas disciplinas que eu vou estudar?”. Ó, a gente tem 17 disciplinas na OAB, né? Se eu fosse estudar uma disciplina por dia, eu só veria a mesma matéria daqui a mais de duas semanas, então assim, errado, porque quando você revê essa matéria de novo, você não vai nem lembrar do que que você tinha estudado, você vai ter que “perder tempo” revisando tudo que você já tinha estudado. Então não vamos fazer isso, tá? Não vamos estudar uma disciplina por dia não. A gente vai estudar duas disciplinas por dia, beleza? Até porque no dia da prova você vai ser submetido a disciplinas misturadas o tempo todo, então esse já é um ótimo método de você já ir treinando na sua cabecinha a misturar essas disciplinas, tá bom? Então resumindo: três a quatro horas diárias de estudo, e quantas disciplinas, Dani?

Dani: Duas disciplinas por dia.

Letícia: Duas disciplinas. E como que eu vou organizar essas disciplinas? Porque não é só colocar lá as disciplinas da sua cabeça não, beleza? Como que eu vou organizar? O que que vem primeiro? O que que vem depois? Você lembra que a Dani explicou aqui no início do webinar que você vai fazer simulados ou você vai analisar a sua prova, se você veio de uma reprovação, né? Você vai analisar a sua última prova, você vai identificar seus pontos fortes e seus pontos fracos. Você vai utilizar isso aqui, nesse ponto do seu cronograma. A partir desse ponto que o seu cronograma vai ser individualizado, ele vai ser feito para você, beleza? Então o segredo de montar o cronograma é colocar no mesmo dia uma disciplina forte e uma disciplina fraca. Se essas disciplinas tiverem uma relação entre si, por exemplo, “direito do trabalho é a minha disciplina forte e processo do trabalho é a minha disciplina fraca”, tente colocar as duas então no mesmo dia, tá? Mas nunca coloque duas disciplinas fracas no mesmo dia, tá?

Misture forte com fraca, beleza? Então vai ficar mais ou menos assim: você vai colocar as duas disciplinas, uma forte e uma fraca, você vai dedicar mais tempo para a sua disciplina fraca e menos tempo para a sua disciplina forte. Se você tem, por exemplo, três horas de estudo, coloque aí duas horas na sua disciplina fraca e uma hora na sua disciplina forte, tá? Então você vai remanejar esse tempo de acordo com esse critério de fraqueza da disciplina. E como que eu vou organizar? Pensa assim, a semana é sete dias, pega um papel, divide entre sete colunas, segunda à domingo, e comece a colocar a sua disciplina forte e sua disciplina fraca. Só que aí você me pergunta, “ok, eu tenho 17 disciplinas, eu tenho sete dias na semana, vai ter dia com mais disciplina?”. Aí é que está o pulo do gato aqui na questão. Retire ética, direito do consumidor e ECA dessa sua organização semanal, depois a gente vai falar porque, né, Dani?

Por enquanto a gente não vai falar isso não, mas retire essas três disciplinas. O que que sobra? 14 disciplinas. Então você tem sete dias na semana, duas disciplinas por dia. Então tente montar o seu cronograma baseado nisso, beleza? A gente vai mostrar para você aqui mais ou menos como que ficaria o exemplo. Aí, está vendo? A gente tem semana um, semana dois, semana três. Você vai fazer as… você vai seguir essas semanas direitinho, todas as semanas, as suas matérias, dedicando mais tempo para as disciplinas que são fracas, menos tempo para as disciplinas que são fortes. E aí você vai continuar desse jeito até a última semana, que vai ser a semana especial. E se você reparar, não tem nem ética, nem ECA e nem CDC, tá? Depois a gente vai falar porque, beleza?

Dani: E aí gente, só para vocês… tem gente que, quando a gente fala “são três a quatro horas por dia”, tem gente que fala “nossa, mas eu não tenho isso tudo para estudar”. Pensa na sua rotina, será que o tempo que você está agarrado no trânsito, no ônibus, indo para a faculdade, não é um bom momento para assistir uma vídeoaula? Para ler um resumo? Para ler algum livro que você leva por aí? Será que no intervalo ali entre as aulas ou no horário de café ou assim que você chega em casa, não é um bom momento? Só evite de estudar deitado na cama na hora de dormir, porque aí não há santo que ajude, gente. Sério mesmo. Se você está esperando passar na OAB estudando todo dia deitado, 11 e meia da noite, com a luz quase apagada e de pijama e de coberta e tomando leitinho quente, vai ser um pouco complicado.

Mas é muito importante a gente pensar nas questões de prioridade. Tem gente que fala, “ai, mas eu quero estudar para a OAB, eu quero me dedicar, eu quero montar um bom cronograma, mas será que eu tenho esse tempo? Eu não quero estudar isso tudo, eu não sou uma pessoa que gosta de estudar”. Então volta lá atrás e pensa qual que é a sua motivação para ser aprovado na OAB. Pra que que você quer ser aprovado? Para e pensa na real. Tipo, “ah tá, eu fiz o curso de direito, beleza, o caminho natural é fazer a prova e eu tenho que passar nessa prova”, não. Por que que você, Ana, João, Letícia, Ricardo, tem que passar na OAB? “Ah, porque eu quero ser um excelente advogado, eu sonho com essa profissão” ou “ah, eu quero ser porque eu quero me precaver, eu não quero mais… eu já vi que eu não quero seguir a carreira do direito, mas eu quero ter um plano B na minha vida, se alguma coisa não sair como eu estou esperando, como eu estou planejando, eu quero poder voltar atrás e falar, ‘bom, eu tenho um plano B, que é a minha carteira da OAB, que me permite exercer uma outra profissão” ou você quer muito a sua carteira da OAB porque você quer fazer determinado concurso público, chegar a tal ponto que exige de você uma vivência na carreira prática jurídica. Então pensa lá atrás qual que é a sua motivação para fazer a prova, porque senão qualquer cronograma que a gente fizer, você vai ficar pensando, “nossa, mas isso tudo? Mas isso é muito difícil, e que trabalheira, e a prova é muito difícil”, e aí você começa a culpar a prova, o seu professor, a sua faculdade, Deus, o raio que caiu, o gato que passou na rua, seu óculos que quebrou. Assim, pensa na sua motivação, que aí fazer o cronograma e seguir, vai ser muito mais fácil. E se você está pensando, “meu Deus, a Letícia falou que eu tenho que estudar de três a quatro horas, eu não tenho esse momento”, experimenta deletar o Instagram do seu celular e o Facebook do seu telefone e vamos ver se as pequenas… essas pequenas brechas do dia que a gente fica ali rolando o dedo, fazendo nada, a não ser que você siga o Saraiva Aprova, então você está… tem muita razão de ficar no Instagram vendo as nossas dicas, mas aí você ganha muito tempo para conseguir chegar ao seu objetivo, que é a aprovação na OAB. Rosimeire: “quero muito passar”, Silma: “ótimas dicas, obrigada”. Let, vamos só dar uma recapitulada para quem acabou de entrar aqui, pessoal?

As dicas que a gente deu até agora são: faça um cronograma possível e que você vai conseguir cumprir. O seu cronograma é apenas seu, por isso o seu primeiro passo é fazer um simulado ou verificar a prova anterior da OAB que você fez e separar as disciplinas que você tirou mais de 50% e as que você tirou menos de 50%. Na hora de montar o seu cronograma de estudos, você vai todos os dias estudar duas disciplinas. Essas duas disciplinas sempre devem ser uma disciplina fraca e uma disciplina forte. Nesse momento de estudar a disciplina você pode também fazer questões. Vê se eu estou esquecendo de alguma coisa. Ah, deixe ECA, CDC... e ética para depois e preferencialmente estude de três a quatro horas por dia. Não precisam ser horas corridas, você pode estudar uma hora de manhã, meia hora na hora do almoço, um pouquinho na hora da noite, isso aí é você que manda. Vamos para as duas dicas finais, Let?

Letícia: Bora, Dani.  

Dani: Então vamos lá, pessoal. Beleza, estudei, fiz meu cronograma, estou seguindo tudo bonitinho. O que que eu faço faltando um mês para a prova? Deu 30 dias do exame, eu preciso saber se eu estou me preparando bem, se eu não estou. Meu Deus, o que que está acontecendo? Será que eu tenho que reajustar alguma coisa? Tem. Faltando 30 dias para a prova você faz mais um simulado, por quê? Nesse simulado você vai medir se você realmente aprendeu as outras… esse tempo que você teve de estudos realmente está te ajudando em alguma coisa, se tem algum gap, se tem alguma coisa que está em defasagem no seu aprendizado. E aí lembrando que para esse simulado você faz ele exatamente igual você fez ao primeiro: separa cinco horas, não deixa ninguém te interromper, desliga o celular, desliga tudo, não vale consultar em simulado, pelo amor de Jesus, não pode consultar durante os simulados. Deixa o lanchinho, controla o tempo do banheiro. Então faltando 30 dias para a prova você vai fazer mais um simulado, e aí com base nesse simulado, você vai reajustar o seu percurso. Então vamos supor que naquele primeiro simulado que você fez lá atrás, a sua melhor disciplina era penal e a sua pior disciplina era tributário. Aí você foi, dedicou, estudou pra caramba tributário, era sua disciplina forte no seu… era sua disciplina fraca no seu cronograma, então ela tinha mais horas de estudos diários. E aí nesse simulado que você faz agora, você se surpreende e vê que tributário virou uma das suas melhores disciplinas, mas que constitucional, que já era uma matéria que você não dominava muito bem, continua sendo uma pedra no seu sapato. Então o que que você fez? Você reequilibra esse cronograma, redivide novamente as disciplinas fortes e fracas e faz como se fosse uma versão 2.0 daquele cronograma de estudos. Faltando 30 dias é hora também de investir em muitas questões, por quê? Porque você já vai ter estudado, já vai ter dominado mais os conhecimentos das disciplinas e vai estar na hora de ver, “eu consigo interpretar bem as questões da OAB? Quantas questões… Qual que está sendo o meu tempo para resolver cada questão? Qual que está sendo a minha dificuldade? Quais questões… Qual disciplina tem questões que eu tenho mais dificuldade de interpretar, de entender, de resolver?”. Então faltando 30 dias, foca muito em questão, aumenta o momento de questões dentro do seu cronograma de estudos.

Letícia: E o interessante, Dani, é intercalar também as questões, né?

Dani: Isso.

Letícia: Entre… intercalar as disciplinas, inclusive…

Dani: Isso aí.

Letícia: … para você resolver as questões, porque, né? No dia da prova você vai estar treinado.

Dani: No dia da prova pensa comigo: você não vai ter só questão… vamos supor que no seu cronograma você tem ali penal e tributário, você todo dia vai fazer questão de penal, questão de tributário, aí no dia seguinte você vai fazer só de outras duas matérias. Na hora da prova vai estar tudo junto, tudo misturado, tudo interdisciplinar, para facilitar a sua vida ainda, né? Então aproveita nesse sprint final aí, nesses 30 dias que faltam para o exame, e reequilibra e coloca mais uma carga de questões misturando as questões. Então você hoje estudou penal e tributário? Você vai fazer questão de penal, de tributário, de civil e de trabalho. Aí no dia seguinte você estava estudando constitucional e tributário, você vai… tributário foi ontem, né? Que esperteza a minha, meu Deus. Você está estudando tributá… gente… o danado do tributário está me perseguindo. Você está estudando processo do trabalho e direito penal, por exemplo, você vai fazer questão de trabalho, de penal e de tributário, só porque tributário não me larga, e de tributário e de civil. Então faltando 30 dias você faz esse simulado, readequa o cronograma e foca nas questões. Ó gente, só tem mais 16 vagas com desconto. Então se eu fosse você, eu aproveitava, porque o curso é realmente incrível. E assim, eu tenho certeza que você vai se apaixonar pelo curso, assim como a gente é apaixonado.  

 

Letícia: Pessoal, a gente tinha falado antes então para vocês tirarem ética, ECA e direito do consumidor, né? E por quê? Porque elas a gente vai estudar de maneira diferenciada na nossa semana especial, né, Dani?  Que é a nossa semana, inclusive, de revisão, tá? E por que que a gente vai deixar essas três disciplinas para depois? Porque elas juntas representam o maior número de acertos na prova da OAB, e elas, inclusive, envolvem praticamente apenas um estatuto cada, então são disciplinas mais ”fáceis” de você estudar, então a gente vai deixar elas para a semana especial, que vai ser a última semana antes da prova, beleza? Então ó, eu vou dar um preview aqui para vocês de como que ficaria o cronograma então incluindo a semana especial. E ficaria assim. Ó, a semana especial então. Segunda e terça a gente recomenda ética; na quarta, ECA; na quinta, direito do consumidor; na sexta e no sábado, revisão, tá, Larissa? Aqui ó, aonde a revisão entra, tá? E não só na sexta e no sábado, tá, gente? Utiliza a semana inteira para você revisar, enfim, todas as disciplinas. E domingo, que é o dia da aprovação. Mas aí vocês me perguntam, “Letícia, por que que está pintadinho de vermelho, ali nas duas primeiras semanas, a disciplina de ética?”. Gente, ética é a rainha das disciplinas do exame da OAB. Então a gente quer que você estude um pouquinho de ética, nem que seja 30 minutos no início, nas suas duas primeiras semanas, e depois estude novamente na sua semana especial e segue então até o dia da aprovação, beleza? Se vocês tiverem alguma dúvida quanto a isso, escreve aí nos comentários para a gente ficar sabendo.

Dani: É. A Letícia… a Larissa, perdão, falou das revisões, né? Larissa, a revisão, ela entra dentro do seu cronograma. Então, por exemplo, quando você separa aí que toda segunda-feira tem penal e o tributário, porque tributário me ama, como já percebemos, não significa que todo dia é assunto novo de penal e de tributário. Você pode, por exemplo, estudar por três semanas e fazer uma revisão naqueles pontos que você achou que não ficaram tão claros assim. O momento de fazer a revisão do estudo contínuo, ele depende de você e da necessidade que você está sentindo dessa revisão ao responder as questões. Mas falando de revisão, revisão mesmo, e sobre a última semana de preparação, aqui vai uma dica muito, muito, muito importante. “Faltam sete dias para a minha prova. E agora? Meu Deus, morri”. Não. Agora está na hora de intensificar os seus estudos no máximo que você conseguir. Pensa que você é um maratonista e está lá correndo, correndo, correndo, sem fim, já está ficando cansado, mas a linha de chegada está ali ó, está quase, está muito perto. É a hora de desacelerar? É a hora de parar de correr? Não, é a hora de, ó, sebo nas canelas, bala no alvo, para quem é fã de Toy Story, que nem eu.

Está na hora de correr, está na hora de “vamos lá’. Então faltando uma semana para a prova, você vai assistir a nossa maratona OAB. Já deixa reservado no seu cronograma, marque esse dia bem bonitão lá, “dia da maratona do Saraiva Aprova”. Por que que não é aconselhado estudar numa maratona num domingo antes? Porque ficar 12 horas fritando na frente do computador não vai te fazer bem no dia da… no dia… antes da prova. E outra coisa, você está lá assistindo a maratona, aí de repente você pensa, “meu Deus, esse conteúdo de tributário aqui eu não vi, eu preciso estudar e a prova é amanhã”, “nossa senhora, o André Barbieri falou que essa dica aqui de ética é muito importante e vai cair na minha prova e, meu Deus, e isso aqui eu não vi”, você não tem tempo de corrigir mais o percurso. Então a gente acredita que fazer essas maratonas um dia antes da prova, só vai te deixar mais desestabilizado. O que que a gente aconselha fazer um dia antes da prova, ou seja, no sábado? Tenta relaxar, tenta ir num cinema ver um filme, curtir com os seus amigos, ficar com a sua família. Mas aí você fala, “nossa, mas eu não consigo, eu fico muito nervoso, eu só fico pensando na prova, aí eu fico pensando, ‘ai, e se eu fizesse mais uma questão?’, e essa questão que eu fiz agora ia ser a questão que tinha a resposta da prova de amanhã?”. Se você é muito ansioso e não está conseguindo se controlar, eu não vou virar para você e falar, “não, não estuda não”, estuda, mas estuda de leve, principalmente estuda ética, porque é a rainha das disciplinas, então no sábado antes da prova vai estudar ética, vai fazer questões de ética, vai dar mais uma revisada, mas o que a gente não aconselha é fazer aquelas maratonas de revisão no sábado antes da prova. Faz uma semana antes, porque aí você consegue corrigir o que você precisa estudar. Então vamos dar uma recapitulada em todas as dicas, Let?

Letícia: Bora. Inclusive a Eliane até perguntou: “repita novamente como estudar as matérias deixadas fora do cronograma”. Eliane, nenhuma matéria é deixada fora do cronograma, tá? O que a gente incentiva é que você retire das suas principa… das suas primeiras semanas, no caso, ética, CDC e ECA. E por quê? Porque essas três disciplinas, você vai colocar na sua semana especial, que é a sua semana antes do exame, beleza? Só que aí a gente incentiva também você pegar ética e colocar nas duas primeiras semanas, nem que se… nos domingos, nem que sejam uns 30 minutinhos, beleza? Você revisa ética antes, lá quando você está iniciando o seu cronograma, acaba ética na segunda semana, continua as suas semanas normalmente, todo dia com as mesmas… por exemplo, toda segunda você está vendo direito do trabalho e processo do trabalho, na próxima segunda você vai ver as mesmas disciplinas, então continua até chegar na semana especial, que é quando você vai incluir revisão da maratona, ética, CDC e ECA, beleza? Então nada fica deixado, nada fica de fora, tá bom?

Ah, a Laís Guimarães: “tem um padrão, um tempo mínimo de antecedência para começar a estudar?”. Laís, é o seguinte, a hora da OAB não é hora de milagre. Então se você me perguntar, “quando eu começo a estudar para a OAB?”, no seu primeiro dia de faculdade. E não é estudar no sentido de, “ah, eu já vou comprar os livros de OAB, eu já vou começar a fazer exame”, não é isso. Mas o que que é? A preparação da OAB, você vai ter lá tudo aquilo que você viu durante a sua faculdade. Então se dedicar durante a faculdade é se esforçar, já fazer resumos lá, já fazer exercícios, aprender a estudar durante a faculdade facilita muito quando chegar no exame da ordem. Mas vamos supor que não deu certo, que você não gostava muito e que estava muito difícil, que você puxava… que a sua rotina na época de faculdade era muito apertada, você não conseguia se dedicar o suficiente, “ai meu Deus, e agora eu preciso estudar para a OAB, o que eu preciso fazer?”. A gente aconselha que, se você tem poucas horas por dia, estude com seis meses de antecedência. Se você consegue se dedicar um pouco mais, o prazo ideal é de quatro a três meses antes do exame. Menos tempo que três meses, costuma ser bem apertado, porque você vai ficar muito mais ansioso, porque você vai ver a quantidade de coisa que você tem para estudar e o tanto de detalhes que tem nas disciplinas, tributário, principalmente. Então você vai ficar muito ansioso e vai ser difícil de conseguir ver tudo o que você precisa ver para a hora da prova. Então o tempo ideal é de quatro a três meses, mas se você tem seis meses, prefira seis meses. Porque você vai ter mais tempo de se dedicar e com calma.

Letícia: Isso. Inclusive, Dani, nos cronogramas que a gente envia no Saraiva Aprova, assim, a gente envia até dois meses, o tempo de estudo, para o exame, porque assim, mais do que dois meses, a gente não tem cronograma de um mês para o exame, porque justamente entra no caso do que a Dani falou, você vai ficar doido com tanto de disciplina que tem para estudar. Não é impossível, tá, gente? Mas é bom evitar. Começa com antecedência, tá?

Dani: É. E aí tem muita gente que pergunta assim, “ah, e quando que eu faço a prova da OAB? Eu faço durante a faculdade? Eu deixo para fazer depois de formado?”, tem gente que fala, “ai, durante a faculdade é difícil porque eu tenho TCC, eu estou no final e eu estou estagiando e eu estou fazendo tantas coisas ao mesmo tempo”, mas pensa só comigo, durante a faculdade a sua pressão vai ser bem menor, porque, por exemplo, se você começa a estudar para a OAB no oitavo período, faz seu primeiro exame no nono, você ainda tem um ano inteiro, porque são três exames durante o ano, então você vai ter do nono ao décimo período para tentar três exames e garantir a sua aprovação sem a pressão do mercado de trabalho. Porque uma vez formado, a pressão é maior porque você fica, “meu Deus, eu preciso da carteirinha, eu preciso da carteira, e agora?”, “eu faço estágio e o meu patrão está me… a minha empresa está me deixando maluca porque eles falam, ‘ô, você precisa da carteirinha para continuar, você precisa, você precisa”. Então antes, enquanto você está na faculdade, a pressão que você sofre é menor. Mas se a sua faculdade já passou, você já está com oito anos de formado, com 10 anos de formado, a gente tem um depoimento no nosso Youtube do Ricardo, que passou 12 anos longe do direito, fez o curso com três meses e foi aprovado no exame 24… 24 não, perdão, 23. Se você já está nessa situação de saiu da faculdade, também não se desespere. A chave da aprovação é: “deixa a pressão para lá”. O professor Marcelo Hugo fala uma coisa que a gente concorda muito, que é: “toda a preparação da OAB é uma moeda de dois lados: ela é a preparação psicológica e a preparação pedagógica”. Então cuidar do psicológico é muito importante, às vezes a gente se esquece. Então cuidado com a pressão. Às vezes é a pressão que está te fazendo ter reprovação, porque às vezes você estudou, você vai bem no simulado, você manda bem nos exercícios, chega na hora da prova dá branco, você não consegue responder nada, fica tudo confuso, isso é a pressão, isso é a ansiedade. Então durante a faculdade essa ansiedade costuma ser menor e a pressão também. Então a gente aconselha fazer ainda durante a faculdade.

 

Letícia: Ó, a Aline enviou assim: “mas e quem já fez outros exames, igual eu? Estuda a matéria do zero novamente?”. Aí a gente volta naquilo que a Dani explicou lá no início, né, Dani? Se você já veio de uma reprovação, enfim, utiliza essa sua última prova para exatamente rever os seus pontos fortes, seus pontos fracos, vê o que que você foi bem, o que você não foi tão bem assim, e aí você vai priorizar no seu cronograma de estudos, estudando mais tempo naquilo que você precisa melhorar e dedicando menos tempo naquilo que você precisa só revisar.

Dani: Vamos ver se temos mais dúvidas. “Tem quantidade de questões para fazer por dia?”. Heloise, não. Isso depende de você… de quanto tempo você vai dedicar no seu cronograma para fazer questões. O que a gente aconselha é: quanto mais perto da prova, você vai intensificando mais o número de questões que você faz. Mas não tem como falar assim, “ah, faça 10, faça 20, faça 30”, isso depende muito de você. O que a gente aconselha para questões é: faça sem olhar as respostas, sempre, porque tem gente que vai fazer a questão, lê a alternativa, lê a justificativa de porque não está certo, lê outra, lê a outra. Assim você não está exercitando nada. Então faz uma bateria de questões e depois você volta vendo o que você acertou e o que você errou. E lembrando sempre de fazer questões de mais matérias e não só daquela disciplina que você está estudando agora. Então se eu estou estudando hoje tributário, eu não vou fazer só questão de tributário, eu vou fazer de tributário e de mais outras duas disciplinas, porque é assim que vai ser no dia da prova.

 

Dani: Então pessoal, muito obrigada a todos que assistiram. Eu espero que vocês tenham aprendido muito. A gente preparou esse bate papo com muito carinho para vocês. 

 

Cronograma de estudos OAB: como montar?

 

Cronograma de estudos para a OAB é sempre um assunto quente. Isso porque é fazendo (e seguindo!) um bom cronograma, adequado às suas necessidades, que você conseguirá organizar seus estudos e garantir a tão sonhada aprovação!

Por isso, esse é o tema do nosso Saraiva Cast! O nosso mais querido podcast! Aperte o play e confira 🙂

Confira a transcrição do áudio abaixo!

——————

P: Olá ouvintes, sejam bem-vindos ao podcast do Saraiva Aprova. Hoje nós vamos falar sobre um tema importantíssimo para você que quer ser aprovado no exame da Ordem, e nós vamos falar sobre como criar um cronograma de estudos. E para ser bem assertivo, trouxemos aqui o professor Marcelo Hugo.

Marcelo Hugo: Olá a todos. Muito obrigado por essa oportunidade, mais uma vez nós conversando com vocês, compartilhando conhecimento, enfim, dicas importantes para o exame de Ordem, mostrando para vocês que o exame de Ordem não é um bicho de 7 cabeças.

P: Professor, acho que no outro episódio, – acho não, tenho certeza -, falamos muito sobre organização de tempo e muitos alunos dizem que não sabe como criar um cronograma eficaz, e esse cronograma que possibilite ele estudar todo o conteúdo e que também o leve até à aprovação da prova. Como que é possível criar esse cronograma eficaz?

Marcelo Hugo: Primeiro lugar, eficaz não significa todo o conteúdo. Eu vejo muitas pessoas “como é que eu vou estudar todo conteúdo?”. Não tem todo conteúdo, nós não temos nem conteúdo programático no edital. O que que nós vamos realmente estudar? Nós vamos estudar o que realmente cai em prova. Não adianta eu começar no artigo 1º do Código Civil e terminar lá no dois mil e alguma coisa, porque certamente 89%, 95% dos artigos de Código Civil não cai. O que que é importante? É qualidade nos estudos, preparação de qualidade e não quantidade. O exame de Ordem não mede quem estudou mais e sim quem estudou de forma certa, correta. Um cronograma, ele precisa o quê? A sua preocupação é: atender o que realmente cai. E para fazermos isso, precisamos antes examinar as provas da OAB, nós precisamos ter uma ideia do que realmente cai. E, neste caso, eu até faço a sugestão dos livros de questões comentadas para exame de Ordem. Os livros de questões comentadas, eles dividem as disciplinas por temas e subtemas facilitando a análise do que realmente cai. Se verificarmos determinado assunto, vamos imaginar, controle de constitucionalidade e controle de constitucionalidade caiu nas últimas 10 provas “opa, controle de constitucionalidade tem que estar no meu esquema de estudos.” Agora, por exemplo, se cai determinado assunto, caiu, vamos lá, no décimo segundo e nunca mais caiu, esse assunto certamente não vai cair de novo. Claro, pode cair, mas será que eu preciso perder o meu tempo sendo que tempo hoje é um produto de alto valor? Será que eu preciso realmente estudar aquilo com tanta atenção como controle de constitucionalidade? Eu não estou dizendo assim “vamos descartar tudo que caiu apenas uma vez”, mas o que eu quero deixar claro, que precisa ter mais atenção àquilo que realmente cai.

P: E aí ainda em relação a essa nossa primeira questão. Falamos sobre o estudar todo o conteúdo, e aí acho que isso é uma preocupação que existe para se preparar em toda prova. É realmente necessário estudar todo o conteúdo e tendo uma rotina produtiva de estudos? E eu até falo isso citando aí de novo o seu livro O poder da aprovação, você se preocupa muito nele em explicar como que funciona as disciplinas que são abordadas no exame da OAB.

Marcelo Hugo: Sim.

P: E eu acredito que isso tem total relação entre o conteúdo e o tempo que ele precisa se dedicar.

Marcelo Hugo: Exatamente. No livro O poder da aprovaçãocoaching Mentoring para OAB e concursos eu faço uma trilha em cada disciplina e eu mostro quais são os assuntos que mais caem em cada disciplina, ok? Mas eu deixo bem claro em cada uma delas que não é ignorar as outras, outras matérias, mas sim dar mais atenção às matérias mais solicitadas, e estudando pelas últimas provas conseguimos captar uma tendência das bancas. E esse cronograma, eu preciso prestar atenção de montar um cronograma. Já conversamos em podcast, colocando duas disciplinas por dia, quatro horas seria um tempo bom, enfim, precisamos realmente buscar solucionar esses temas que mais caem, dando preferência justamente àqueles temas que eu tenho dificuldades. Cada um tem as suas dificuldades. O que eu não posso empurrar é um cronograma padrão pré-determinando tempo para cada disciplina ou tema, porque cada um de nós traz suas individualidades.

P: Então cada um conhecendo aí suas limitações.

Marcelo Hugo: Exatamente.

P: Fazendo esse diagnóstico do que, de fato, precisa estudar. E aí ele entra num momento de criar o seu cronograma. Você indica alguma estratégia ou alguma ferramenta para que ele possa criá-lo sem qualquer dificuldade?

Marcelo Hugo: No blog do Saraiva Aprova, saraivaprova.com.br/blog tem um ícone que diz “materiais gratuitos”. Lá nos materiais vamos encontrar um kit de aprovação, vamos dizer assim, e que lá traz o cronograma e você pode baixar de forma gratuita e tem todas as dicas de como montar um cronograma, tudo bonitinho, explicado, tenho certeza que vai ajudar muita gente a sair só da teoria.

P: Que bom. Para quem está se preparando para o exame da OAB acesse os conteúdos do blog do Saraiva Aprova para começar os seus estudos ou para dar continuidade nos seus estudos de uma forma bem planejada.

Marcelo Hugo: Com certeza.

P: E nós estamos já chegando ao fim do nosso bate-papo e eu acho que essa pergunta vai aliviar o coração de muita gente.

Marcelo Hugo: Eu sou casado, viu? ((risos)))

P: Mas ainda vamos continuar falando aí sobre a prova da OAB. Que orientação você dá para o aluno para que ele consiga gerir o tempo dele, consiga fazer essa gestão do tempo e se tem algum segredinho para que ele não fure o próprio cronograma.

Marcelo Hugo: O cronograma, ele tem que ser possível, eu não posso exigir de mim mesmo estudar 8 horas por dia sendo que eu não tenho essas 8 horas por dia, ou eu vou trocar as minhas horas que são essenciais para dormir, no mínimo 6 a 8 horas, ou eu vou dormir ou eu vou estudar. Não adianta gerar um cronograma impossível de cumprir porque em um primeiro momento que romper com o cronograma, surge a procrastinação e a procrastinação eu nunca mais volto a fazer nada. Mas a minha sugestão, como eu falei antes, é trabalhar, é saber a sua agenda, conhecer aonde está os buracos, os furos, onde você pode incluir o seu horário de estudo que pode ser de manhã, de tarde ou de noite, enfim. Agora, para quem gosta de ler e diz que ler dá sono, você já parou para pensar se você não está lendo na cama deitado antes de dormir? Tem que ser de forma correta essa divisão de tempo.

P: Novamente também conhecer a própria limitação.

Marcelo Hugo: Exatamente.

P: Para finalizar agora de verdade, fugindo um pouquinho aí do nosso roteiro. Conta para nós como que foi o seu cronograma para fazer a prova da Ordem?

Marcelo Hugo: Eu fiz a prova da Ordem em 1997, eu fui um dos primeiros alunos a ser obrigado a fazer a prova já com o novo estatuto, depois da transição do novo estatuto. E eu estudava, eu estava no nono semestre da faculdade e justamente o que eu estou dizendo para vocês é uma informação de mais de 20 anos. Eu examinei o tempo que eu tinha de livre entre estágio e faculdade e aquele tempo livre eu aplicava os meus estudos. Às vezes no estágio, – eu fazia estágio num órgão público -, e tinha momento de ócio, e aquele ócio eu transformei em ócio criativo, produtivo, e naquele momento eu carregava os meus livros e estudava nesse lugar ou fazia resumo, enfim. Eu aproveitei realmente, olhei cada dia da semana aonde eu tinha espaço para estudar e foi ali que eu conseguir então estudar naqueles momentos e consegui aprovação no último semestre, no décimo semestre, no último ano mesmo.

P: Que bom. Então gente, funciona de fato o cronograma hein? ((risos))

Marcelo Hugo: Funciona, com certeza.

P: É muito importante para que vocês se planejem.

Marcelo Hugo: É verdade.

P: Muito obrigada, professor, pelas dicas, obrigada a todos os ouvintes. Para os alunos do Saraiva Aprova existe um conteúdo exclusivo sobre esse tema na plataforma. Até a próxima pessoal.

Marcelo Hugo: Grande abraço, bons estudos.