O que o Selo da OAB diz sobre as universidades?

o-que-o-selo-da-oab-diz-sobre-universidades

O que o Selo da OAB diz sobre as universidades?

Na hora de escolher uma faculdade para cursar Direito, o aluno pode ficar confuso com tantas opções disponíveis no mercado. O curso está disponível na maioria das faculdades do Brasil, mas como saber quais são os melhores? Depois de começar o seu curso, o que fazer se ele não estiver listado entre os melhores? O que é o Selo da OAB? Qual o impacto dele na qualidade do curso?

O Selo da OAB é um dos critérios oficiais de medição da qualidade dos cursos de Direito. Essa acreditação surgiu como uma forma de a entidade controlar e acompanhar a qualidade do ensino jurídico no Brasil e segue alguns critérios objetivos para realizar a avaliação das faculdades.

Para descobrir o que é o Selo da OAB e como funciona a avaliação continue acompanhando este post.

Quais são os critérios para o Selo da OAB?

O Selo OAB Recomenda utiliza critérios objetivos, baseados na participação dos alunos no Exame da Ordem e também no ENADE. As instituições devem ter ao menos 20 alunos participantes em 3 edições do Exame de Ordem Unificado — essa participação tem peso 4 na avaliação. Na edição de 2016, 142 universidades receberam o Selo OAB Recomenda, válido por 3 anos.

Além disso, existe a necessidade de participação de ao menos 20 alunos no Enade — esse quesito tem peso 1. Todas as faculdades que obtiverem conceitos acima de 7, em escala de 0 a 10, recebem o Selo da OAB.

Assim como acontece no Exame da Ordem, no Selo da OAB não existe limite de instituições de ensino aprovadas. Todas as instituições que existem hoje poderiam ser condecoradas na mesma edição, o que vale é o desempenho individual da faculdade.

Conforme já ficou claro pelas edições da avaliação, a tendência é que a cada edição novas faculdades conquistem a aprovação.

O que acontece com as faculdades que não têm o Selo da OAB?

O Selo OAB Recomenda é uma sugestão da Ordem dos Advogados do Brasil para os estudantes e para o mercado. A concessão do selo é uma sugestão de que os alunos daquela instituição atingiram desempenho razoável nas provas do ENADE e no Exame da Ordem.

O Selo da OAB possui credibilidade baseada nos índices utilizados em sua concessão e na reputação da própria OAB, mas não é um critério governamental para avaliação dos cursos de Direito.

A certificação não tem caráter obrigatório e não interfere na autorização da instituição em ministrar o curso. A faculdade que não tem o Selo da OAB provavelmente pretende conquistá-lo para melhorar sua reputação no mercado, mas essa condecoração não interfere na autorização do Ministério da Educação (MEC) para que o curso seja aberto ou mantido.

Por isso, as faculdades que não tem o Selo da OAB não sofrem nenhum tipo de punição e podem continuar a ter cursos de Direito, mesmo que não consigam atingir os critérios da Ordem.

A única entidade que pode determinar o fechamento de um curso de Direito é o MEC, que possui critérios de avaliação próprios, previstos no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior, que são diferentes daqueles utilizados pela OAB.

O que fazer se minha faculdade não tiver o Selo da OAB?

O Exame da Ordem possui taxas de aprovação baixas com relação à quantidade de inscritos, e o Selo da OAB possui um índice baixo de concessão com relação aos cursos existentes.

Existem grandes chances de um aluno cursar Direito numa faculdade que não possui o Selo da OAB, porque essas instituições ainda são a maioria no cenário nacional. O que o aluno deve fazer se estiver matriculado em uma faculdade que não tem o selo?

O candidato que deseja se preparar bem para o Exame da Ordem, ao descobrir que sua instituição não recebeu o Selo OAB Recomenda, não deve se desesperar. O Selo da OAB é apenas um dos indicadores da qualidade do curso e não exclui o desempenho individual na prova.

Apesar de ter altos índices de reprovação, o Exame da Ordem aprova milhares de candidatos em todas as suas edições. O desempenho individual é o critério final para determinar o sucesso na conquista da aprovação na OAB.

Assim, é importante estudar e se preparar para o Exame da Ordem, visando seu desenvolvimento pessoal, independentemente das estatísticas. Manter o foco, criar um plano de estudos e se preparar adequadamente para o exame aumentam as chances de aprovação mesmo dos alunos de instituições que não possuem o Selo da OAB.

Como se preparar para o Exame da OAB?

Além de confiar na qualidade do curso de Direito, o candidato deve investir no estudo individual e acreditar na própria capacidade. É recomendável buscar um bom curso, que respeite a rotina corrida dos estudantes e garanta flexibilidade no aprendizado. Quanto mais bem-preparado o candidato estiver, maior sua chance de obter uma aprovação no Exame da Ordem.

O candidato deve dedicar uma parte da rotina diária para os estudos, criar um plano de estudos que inclua cursos preparatórios, leituras de doutrina e legislação e resolução de questões. Para utilizar tais estratégias não é necessário ter estudado em nenhuma instituição específica, basta ter interesse e engajamento para conquistar sua aprovação!

Tenha em mente que o Exame da Ordem sempre incluirá, além dos assuntos básicos de cada disciplina, assuntos que estão em voga no meio jurídico. É bastante comum que sejam cobradas legislações novas ou decisões recentes de tribunais, então, manter-se atualizado sobre os assuntos do universo jurídico também é um diferencial.

No momento de se preparar para o Exame da Ordem, esqueça os índices e estatísticas. Os índices são bons indicadores da média, mas o candidato bem-preparado não busca a média, mas a aprovação definitiva para exercício da advocacia.

Não se pode esquecer que a aprovação no Exame da Ordem é apenas uma etapa do início da vida profissional do advogado e que o estudo é permanente nessa profissão.

Agora que você já sabe mais sobre o Selo da OAB, entenda mais sobre a taxa de aprovação na OAB nos últimos anos!

Avatar

Autor:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *