Interpretação de questões: dicas para compreender a OAB

INTERPRETAÇÃO

Criada em 1843, a OAB é a principal entidade de representação profissional de advogados no território nacional. Além de ser um órgão reconhecido, é ela a responsável pela aplicação do Exame da Ordem — via formal para que um bacharel em Direito se torne apto a exercer o poder postulatório.

Apesar disso, a prova da OAB é reconhecida por ser um grande desafio para os estudantes, mas existem algumas técnicas que podem otimizar a resolução da prova e garantir o sucesso na aprovação do candidato.

Pensando nisso, nós da Saraiva Aprova preparamos um artigo com os principais aspectos relacionados à interpretação de questões da OAB. Venha aprimorar seus conhecimentos!

Estrutura do exame

Segundo dados publicados pela própria OAB, apenas um pequeno grupo de 25% do total de candidatos é aprovado no primeiro exame. Isso demonstra como a prova é complexa e a importância em otimizar os estudos de forma eficiente.

Sendo assim, é importante que o estudante conheça, também, alguns pontos importantes sobre a estrutura da prova. Veja:

  • duração da prova objetiva (1ª fase): 5 horas;
  • número de questões da prova objetiva (1ª fase): 80 questões de múltipla escolha com 4 alternativas cada;
  • duração da prova prática (2ª fase): 5 horas;
  • estrutura da prova prática (2ª fase): questões dissertativas e peça relacionada com a área de estudo escolhida.

Essa estrutura, apesar de simples, destaca o nível de atenção que o estudante precisa assumir diante da prova. É necessário acertar 50% das questões na primeira prova e, na segunda parte (que vale 10 pontos), a OAB exige uma nota mínima de 6 para a aprovação final.

Técnica para interpretação das questões

Saber interpretar um texto corretamente é um requisito básico para quem quer ser aprovado em um exame prático, como é o da OAB. Nesse contexto, é fácil perceber como, por muitas vezes, candidatos que possuem o domínio do conteúdo, mas, na hora de colocar tudo em prática, acabam confundindo qual é o objetivo da pergunta. Entenda como agir nesses casos:

1. Faça uma leitura crítica

Uma primeira dica para resolver esse problema é exercitar a leitura crítica: leia bastante, pare e reflita sobre o que foi falado e tire suas próprias conclusões sobre o tema. Como o Direito não é uma ciência exata, diversos autores acabam seguindo uma linha de pensamento.

Dessa forma, essa prática pode auxiliar tanto na sua capacidade crítica/interpretativa quanto na própria formação do conhecimento técnico.

2. Destaque as palavras importantes

Como se trata de uma prova extensa e cansativa, uma boa prática para facilitar a interpretação de questões é destacar palavras que resumem o assunto principal do enunciado, inclusive sublinhando os casos que apresentam o termo correto/incorreto.

Assim, a probabilidade de errar uma questão por equívoco na interpretação é reduzida consideravelmente, aumentando, portanto, suas chances de aprovação.

3. Escaneie a questão

Outra dica para ajudar você na interpretação de questões: logo após receber a prova, faça uma leitura rápida — cuidado para não demorar mais do que o necessário — escaneando as questões e seus temas.

Com uma leitura prévia, vai ser mais fácil resgatar conceitos estudados, auxiliando na interpretação das questões e, consequentemente, na resolução delas.

4. Elimine alternativas

Caso encontre dificuldades ou dúvidas em uma opção, leia com calma todas as alternativas — eliminando uma por uma. Descartando improváveis respostas, a chance de acerto na questão aumentará consideravelmente.

Essa técnica, além de garantir suas chances de acerto, reduzirá o tempo de resolução da questão, uma vez que não será necessária a releitura das alternativas eliminadas.

Interpretação de questões na prática

De nada adianta entender todos os conceitos para interpretar questões da melhor maneira e não os colocar em prática. Pensando nisso, separamos algumas questões que já caíram no Exame da Ordem em anos anteriores para ajudar você a se preparar para seu teste.

Exemplo 1

Para entender a importância da interpretação de questões na aprovação da OAB, vamos tomar como base uma questão objetiva da FGV. Vejamos:

(OAB/FGV 2010.2) A respeito do Conselho Nacional de Justiça é correto afirmar que:

(A) é órgão integrante do Poder Judiciário com competência administrativa e jurisdicional.

(B) pode rever, de ofício ou mediante provocação, os processos disciplinares de juízes e membros de Tribunais julgados há menos de um ano.

(C) seus atos sujeitam-se ao controle do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça.

(D) a presidência é exercida pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal que o integra e que exerce o direito de voto em todas as deliberações submetidas àquele órgão.

Como podemos ver, a questão é bem objetiva com a pergunta central, não exigindo nenhum raciocínio lógico ou crítico do candidato, apenas o conhecimento sobre o tema. Entretanto, quanto mais simples a questão for, maiores são as chances de nos depararmos com as “pegadinhas”.

Portanto, leia atentamente, destacando as palavras principais e eliminando alternativas incorretas. Fazendo isso, a probabilidade de acerto cresce, diminuindo as chances de dúvidas ou erros.

Exemplo 2

Além do estilo de questões demonstrada no primeiro exemplo, existem as que requerem mais do raciocínio e concentração do candidato.

(OAB/FGV 2010.2) Assinale a alternativa que preencha corretamente as lacunas do texto:

“para a ocorrência de __________, não basta a imputação falsa de crime, mas é indispensável que em decorrência de tal imputação seja instaurada, por exemplo, investigação policial ou processo judicial. A simples imputação falsa de fato definido como crime pode constituir __________, que, constitui infração penal contra a honra, enquanto a __________ é crime contra a Administração da Justiça”.

(A) denunciação caluniosa, calúnia, denunciação caluniosa.

(B) denunciação caluniosa, difamação, denunciação caluniosa.

(C) comunicação falsa de crime ou de contravenção, calúnia, comunicação falsa de crime ou de contravenção.

(D) comunicação falsa de crime ou de contravenção, difamação, comunicação falsa de crime ou de contravenção.

Além de requerer conhecimentos que vão adiante do dispositivo legal e da doutrina, esse tipo de questão exige uma interpretação dos termos utilizados, podendo confundir o candidato.

Por isso, alternativas como essas demandam por um trabalho e um desgaste mental maior — e devem ser feitas cuidadosamente pelo candidato, evitando possíveis erros.

E então, leitor? Gostou do nosso conteúdo? Quer começar a estudar agora mesmo para o Exame da Ordem? Então conheça a melhor opção para você: estudar por conta própria ou fazer um curso preparatório?

Avatar

Autor: Gabriel Augusto

1 comentário em “Interpretação de questões: dicas para compreender a OAB”

  1. Eu quero mais informações sobre esta matéria e se possível dar seguimento no conhecimento de provas e quem sabe vencer mais esta barreira que tanto intervem nos planos dos bacharéis de direito depois de 5 anos de estudo ficar pelo meio do caminho sem ter como usufruir do diploma sem valor algum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *