Curso preparatório ou estudar por conta própria: qual é a melhor opção?

Qual é a melhor opção: fazer um curso preparatório para a OAB ou estudar por conta própria?

Preparar-se para um processo avaliativo pode ser algo complexo e que demanda planejamento, organização e muito empenho. Seja qual for o tipo de prova a ser feita, a ação básica para que o candidato tenha sucesso é o estudo sistemático, uma atividade que pode não ser das mais fáceis, sobretudo, quando engloba um grande número de conteúdos.

Nessa perspectiva, o que seria mais eficiente: fazer um curso preparatório ou estudar por conta própria?

Para responder a essa pergunta, vamos mostrar as características e consequentes benefícios tanto de estudar sozinho quanto de contar com o auxílio do professor e demais vantagens trazidas durante a realização de um curso preparatório.

Com vistas a exemplificar de modo mais concreto e dar praticidade à apresentação, tomaremos como ponto de partida o Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O exame da OAB consiste em um expediente interessante para a ilustração das diferentes vantagens fornecidas pelo estudo autônomo e pelo estudo institucionalmente orientado.

Isso porque o exame da OAB, além de obrigatório para todos os profissionais de direito que pretendem advogar ou prestar um concurso público, é uma avaliação exigente e com níveis de aprovação ainda baixos, sendo, portanto, uma prova importante.

O planejamento do processo de estudo

Antes mesmo de entender o que está envolvido na prática de estudar por conta própria e em um curso preparatório, é imprescindível ter em mente que qualquer processo de estudo demanda preparação intelectual.

A palavra estudar é de origem latina, tendo como significado etimológico originário a ideia do ato de estar ocupado com alguma coisa, ou seja, trata-se de uma ação que requer empenho.

Por se tratar de uma ação, o estudo abrange técnicas, procedimentos, estratégias, etapas e finalidades, sendo uma atividade que possui um ponto de partida, uma trajetória e um ponto de chegada.

Em geral, no estudo, parte-se da meta a ser alcançada, com a identificação do que é preciso saber a partir da verificação do que já se sabe e das exigências específicas do objetivo. Em seguida, são traçados os meios pelos quais essa finalidade será atingida.

Em termos práticos, o candidato ao exame da OAB tem como meta ser aprovado na prova. Para que isso aconteça, é necessária a ação de estudar os conteúdos cobrados no processo avaliativo e acertar o quantitativo de questões exigido pelas disposições e critérios do exame. Isso significa que a prática de estudos será fundamental nesse processo, devendo, pois, ser cuidadosamente organizada.

A organização das atividades de estudo requer que o candidato elabore e execute um planejamento que orientará todo o processo de aquisição de conhecimentos. Nesse planejamento, devem constar essencialmente os meios em que os conteúdos cobrados no exame serão trabalhados, isto é, de forma autônoma, institucionalmente direcionada ou uma combinação de ambas as possibilidades.

Esse planejamento é de suma importância para a obtenção de um desempenho satisfatório no exame da OAB, uma vez que organiza de forma sistemática toda a preparação que precisará ser feita.

Planejar o processo de estudos para o exame otimiza o tempo gasto durante a preparação e elenca as prioridades, fatores que contribuem para que o candidato seja capaz de estudar todo o conteúdo cobrado na prova.

É por meio do planejamento que o bacharel em direito conseguirá identificar quais os conhecimentos poderá adquirir ou aprimorar estudando sozinho e quais aqueles necessitam da mediação de um professor e da organização de um curso preparatório.

Dessa forma, planejar o processo de estudos deve ser o ponto de partida para quem pretende ser aprovado no exame da OAB.


Faça o download gratuito do nosso Kit de Planejamento para a prova da OAB.


A habilidade de estudar por conta própria

Estudar sozinho, não contando com o suporte de professores e de outros aparatos que objetivam facilitar a aprendizagem, é uma habilidade necessária para quem está se preparando para o exame da OAB.

Isso acontece porque ao poder dedicar-se aos estudos em qualquer local e horário, o estudante tem a possibilidade de usar o seu tempo de acordo com a disponibilidade que possui e no ritmo de aprendizagem que julgar mais apropriado.

Além disso, em um ambiente tranquilo, silencioso e sem a intervenção de outras pessoas ou a perturbação por barulhos e outras distrações, o estudante tem mais condições cognitivas para se concentrar e manter a atenção no material que está sendo estudado.

O foco individual necessário para os estudos é facilitado quando são postas em prática técnicas e estratégias que privilegiam a aprendizagem por si mesmo.

Estudar por conta própria possui determinadas características, exigindo, por isso, algumas competências do estudante, como autonomia, disciplina, empenho e a posse de um material de qualidade.

Autonomia

O primeiro atributo necessário é a autonomia, ou seja, a capacidade de autogestão por intermédio do uso de meios próprios.

Essa característica é essencial, já que é o estudante quem fará a seleção do conteúdo cobrado pela OAB, separará o material usado na preparação e organizará totalmente a sua rotina de estudos.

Nem sempre o indivíduo dispõe desse perfil autônomo, devendo desenvolvê-lo para aproveitar plenamente o estudo por conta própria. Uma técnica que fomenta o desenvolvimento da autonomia é a montagem de um plano de estudos com um cronograma que especifique os conteúdos e as datas em que serão estudados. O automonitoramento constante da execução do plano é reflexo de uma postura autônoma.

Disciplina

Outro atributo básico para a efetividade do estudo por conta própria é a disciplina, ou seja, a capacidade de se manter focado nas atividades necessárias ao alcance de uma meta. É preciso que o estudante siga à risca o planejamento feito, buscando motivação para esforçar-se continuamente, uma vez que a falta de um ambiente institucionalizado e direcionado à aprendizagem pode constituir um empecilho na manutenção do foco.

Empenho

Além da autonomia e da disciplina, é fundamental que o estudante empenhe-se ao estudar sozinho. Essa dedicação é essencial porque, não estando em contato com um professor que pode tanto mediar quanto estimular a aprendizagem, o candidato precisa de uma dose extra de interesse e aplicação, o que é essencial para a construção e a fixação dos conhecimentos que são cobrados no exame.

Selecionar um material de qualidade

Outro ponto fundamental é a seleção adequada do material de estudo, que deve estar atualizado, ser condizente com a literatura exigida no exame da OAB e ter qualidade acadêmica. Quem estuda de forma autônoma precisa ter especial atenção com relação a esse aspecto, já que a legislação brasileira é muito dinâmica, sofrendo alterações consideráveis em suas mais diversas esferas em um período de tempo relativamente curtos.

O estudante que é capaz de desenvolver de modo eficiente tais características tem grandes chances de se dar bem no exame. Esse potencial sucesso no processo avaliativo é possível porque as condições contextuais oferecidas pelo estudo por conta própria associadas à autonomia, à disciplina, ao empenho e à seleção adequada de material contribuem muito para a fixação dos conteúdos e consequente resolução da prova da OAB.


Saiba quais são os melhores livros para estudar para a OAB.


Os diferenciais de contar com um curso preparatório

De modo geral, fazer um curso preparatório é vantajoso e pode ser o diferencial do candidato na hora de prestar o exame, já que, como o seu próprio nome sugere, ele prepara a pessoa para um determinado fim.

No entanto, esse investimento só vale a pena se o indivíduo, de fato, aproveitar tal oportunidade, focando-se e empenhando-se nas aulas e demais ferramentas de aprendizagem oferecidas pelo curso escolhido.

Benefícios para quem vai prestar o Exame da OAB

Cursos preparatórios são muito benéficos para quem fará o exame da OAB. Em geral, eles operam a partir de cronogramas de aulas, contam com um corpo docente qualificado, abordam temas e questões referentes às provas anteriores, fornecem material de estudo específico e dão dicas e macetes que ajudam na resolução do exame. Resumindo, são cursos totalmente direcionados para aquele que prestará a prova.

Por se tratar de um processo de ensino e aprendizagem institucionalizado, no qual há a atuação do professor, em um curso preparatório o aluno tende a tirar enorme proveito das aulas, uma vez que elas são ministradas por profissionais competentes e experientes.

Além disso, em razão de ser um ambiente especificamente destinado aos estudos, um curso preparatório pode ajudar na concentração e motivação do estudante.

Outro ponto bastante vantajoso de se fazer um curso preparatório é o direcionamento específico dos estudos para o exame da OAB. Além de abordar de maneira sistemática, organizada e programada os conteúdos cobrados pela prova, é prática comum a resolução — e consequente análise crítica — de questões que compuseram as avaliações de anos anteriores.


Conheça o Raio-X da 1ª Fase. Trata-se de uma análise detalhada dos conteúdos mais cobrados na primeira fase do Exame até hoje, que disponibilizamos gratuitamente.


O trabalho com as questões que já caíram anteriormente no exame é fundamental por dois motivos principais:

1) primeiro, porque, com base nos comentários e análises feitas pelo professor, o candidato é capaz de entender de modo mais aprofundado determinados assuntos;

2) em segundo lugar, em razão da familiaridade que a pessoa passa a ter com a prova, conhecendo os tipos de questões, os formatos dos enunciados etc.

Mais um diferencial que deve ser levado em conta na hora de optar por um curso preparatório é o material de estudos oferecido. Tal como acontece com as aulas e a resolução das questões, o material fornecido é direcionado especialmente à realização do próximo exame da OAB, de maneira a ter qualidade, atender aos conteúdos cobrados e estar atualizado.

Além de todas essas razões, existem pessoas que precisam de uma maior orientação para conduzir os seus estudos, o que faz com que um curso preparatório para o exame da OAB caia como uma luva.

Nessa perspectiva, as atividades desenvolvidas no curso direcionam o que o candidato deverá fazer em termos preparatórios para ser capaz de adquirir os conhecimentos necessários e ser aprovado no processo avaliativo.

O estudante que participa de forma ativa de um curso preparatório para o exame da OAB é um forte candidato à aprovação. Isso porque ele recebe os estímulos institucionais adequados à preparação para a prova, principalmente no que se refere às especificidades relativas ao exame, e tem contato com professores experientes o bastante para orientá-lo nessa trajetória.

A capacidade de organizar um cronograma

Passar no exame da OAB exige estudos específicos e orientados, os quais, por sua vez, requerem organização do ponto de vista temporal. Isso porque, na maior parte dos casos, o candidato tem outros afazeres cotidianos além das atividades de preparação para a prova.

Nessa perspectiva, é essencial que o estudante elabore — e consequentemente siga — um cronograma para obter sucesso no exame.

Para organizar um cronograma, o indivíduo deve considerar o tempo que tem disponível aos estudos. Isso demanda que ele identifique suas atividades rotineiras, elenque as prioridades e estabeleça uma ordem para cada uma delas.

A partir dessas ações, o bacharel em direito deve estipular o tempo destinado à preparação para o exame, bem como estabelecer os conteúdos a serem estudados e os seus períodos temporais correspondentes.

O cronograma elaborado precisa considerar tanto o estudo por conta própria, quanto o estudo realizado por meio do curso preparatório, caso se matricule em um. Quando forem feitos os dois tipos de preparação, o estudante precisará identificar quais serão os conteúdos estudados por conta própria, criando um plano de estudos específico para essa finalidade.

Em geral, os cursos preparatórios têm os seus próprios cronogramas, baseados no quantitativo de aulas e nos assuntos a serem abordados. O candidato que optar por fazer um curso preparatório deve associar o cronograma da instituição de ensino ao seu cronograma particular, o que possibilita uma organização mais eficiente das matérias e conteúdos estudados, bem como auxiliará no planejamento do estudante.

A necessidade de tirar dúvidas sobre a matéria

O processo de estudo desenvolvido ao longo da preparação para o exame da OAB é marcado por dúvidas das mais diferentes naturezas, haja vista a complexidade envolvida na área.

Para que haja condições reais de aprovação na prova, é crucial que todas as eventuais dúvidas sejam sanadas, o que não se traduz em uma tarefa das mais fáceis, principalmente ao se considerar a quantidade e a abrangência dos conteúdos cobrados.

Nessa perspectiva, o estudante deve encontrar estratégias para compreender os assuntos que não ficaram suficientemente claros durante as atividades de estudo. Esse é um empreendimento particularmente complicado para quem estuda apenas por conta própria, uma vez que esse candidato deve se apoiar em técnicas individuais, como pesquisa em materiais de estudo, para esclarecer as suas dúvidas.

Por outro lado, o estudante matriculado em um curso preparatório tem o diferencial de poder contar com a ajuda do professor e outros suportes didáticos oferecidos pela instituição.

Dependendo da organização do curso, o candidato tem a chance de dirimir as suas dúvidas durante a aula, em momentos destinados especificamente para esse fim ou pelo contato direto com o docente.

O mais importante é que não restem dúvidas, pois, caso elas persistam, o desempenho bem-sucedido do candidato pode ser comprometido. Assim, recomenda-se fortemente que o estudante não deixe de tirar as suas dúvidas, esclarecendo-as em contextos de credibilidade, os quais compreendem os cursos preparatórios para o exame da OAB.

A importância da dinâmica da sala de aula

As salas de aula — sejam presenciais ou virtuais (no caso, a plataforma virtual de aprendizagem no ensino a distância) — são, por excelência, o local destinado à construção da aprendizagem.

É nesse ambiente que ocorrem as interações entre professores e alunos, são colocadas e resolvidas questões de interesse coletivo e trocadas experiência que contribuem para a construção do conhecimento.

A dinâmica da sala de aula é importante porque exerce influência na manutenção da motivação, atenção, concentração, disciplina e autonomia do estudante. Por estar em contato com pessoas que têm os mesmos objetivos que os seus e ser estimulado pelo professor, o candidato recebe constantes injeções de ânimo que o ajudam a se manter firme ao longo da preparação para o exame.

A própria configuração da sala de aula, com suas regras de funcionamento e distribuição de funções dos participantes, auxilia no estabelecimento e aprimoramento da disciplina do candidato.

Além disso, as atividades desenvolvidas em sala de aula fomentam a atenção, a concentração e a autonomia do candidato, uma vez que instituem certas práticas de aprendizagem, como a leitura e a resolução de exercícios.

A relevância da sala de aula no que se refere à preparação para o exame da OAB a torna não só importante como essencial à aprovação na prova. Dessa maneira, por ser estruturado de modo institucional — mesmo no caso da educação a distância —, um curso preparatório é recomendado também por possibilitar que o aluno esteja imerso nas dinâmicas da sala de aula e usufrua das vantagens que elas proporcionam.

A flexibilidade de estudar por conta própria

As inúmeras demandas do dia a dia fazem da flexibilidade um pré-requisito para a prática eficiente de estudos, condição que não é diferente da de quem está se preparando para fazer o exame da OAB.

Essa característica faz com que estudar por conta própria seja uma estratégia potencialmente eficaz, já que tal modalidade de estudo permite que o candidato organize e planeje a sua rotina.

Estudando por conta própria, aquele que pretende ser aprovado no exame da OAB tem a oportunidade de estabelecer os horários em que se dedicará aos estudos conforme a disponibilidade de tempo que possui.

Isso é importante porque além de possibilitar a preparação para a prova, não interfere no desempenho dos outros afazeres pelos quais o candidato tem responsabilidade.

Essa flexibilidade também dá a chance ao estudante de se dedicar à preparação para a prova nos momentos em que está mental e corporalmente mais apto. Assim, ele pode estudar em momentos em que está menos cansado e com mais condições de se concentrar, o que, consequentemente, levará a um maior aproveitamento.

Curso a distância: a união ideal entre as opções

Estudar somente por conta própria constitui um desafio para quem pretende ser aprovado no exame da OAB. Isso ocorre porque apenas com essa modalidade de estudo o candidato pode ter dificuldades de manter o foco ao longo do processo de aprendizagem.

Além disso, o estudante não tem acesso à sala de aula e nem pode contar com o auxílio especializado do professor para responder às suas dúvidas.

Por outro lado, mesmo havendo uma série de características positivas e benefícios, estudar apenas por meio de um curso preparatório não é garantia de aprovação no exame da OAB. Isso porque é essencial ao estudante, além de assistir às aulas, resolver questões de provas anteriores e dirimir as suas dúvidas sobre diferentes aspectos das matérias, estudar por conta própria.

O ideal é que essas duas possibilidades de estudo sejam associadas, o que possibilita a junção das vantagens típicas de cada uma delas. Uma forma muito eficiente de uni-las é por meio de um curso preparatório para o exame da OAB, oferecido a distância, o qual propicia flexibilidade, autonomia, disciplina, ferramentas didáticas, assim como conhecimentos especializados e direcionados ao estudante.

Um curso preparatório a distância é configurado de forma a contemplar tanto as características do estudo por conta própria quanto as do estudo institucionalizado. Isso se dá porque a sua estrutura envolve a atuação de professores, a interação entre alunos e com os docentes, bem como o ambiente virtual de aprendizagem — que é a sala de aula do ensino a distância —, além de requerer do aluno o desenvolvimento autônomo de atividades.

A demanda do curso preparatório para o exame da OAB pelo estudo por conta própria advém da metodologia de ensino da educação a distância. Essa modalidade educacional exige que o estudante faça as leituras, desenvolva as atividades e resolva os exercícios indicados pelo professor. E isso tudo no lugar e no horário em que o candidato tem disponibilidade, ou seja, com toda a flexibilidade possível.

E se um curso preparatório a distância para o exame da OAB já não contasse com muitas vantagens com relação à flexibilidade, metodologia de aprendizagem e direcionamento dos estudos, ainda há outro enorme benefício: o preço. Por envolver menor infraestrutura, cursos a distâncias tendem a ser mais baratos que cursos oferecidos presencialmente.

Neste post, buscamos mostrar as características e as vantagens tanto de estudar por conta própria quanto de fazer um curso preparatório para o exame da OAB. Como você pôde perceber, ambas as modalidades de estudo têm as suas vantagens, mas não são suficientemente eficazes quando tomadas isoladamente.

Dessa forma, a realização de um curso preparatório para o exame da OAB a distância é a porta de entrada para a aprovação nesse processo avaliativo. Esse tipo de curso é ideal, pois fornece todas as condições necessárias ao estudante para que tenha desempenho satisfatório e comece a trilhar a sua carreira na área de direito!


Quer entender como é o material de um curso preparatório? Baixe agora mesmo 5 resumos Saraiva Aprova de algumas das matérias mais cobradas na OAB. 


Por que a faculdade de Direito não garante a aprovação na OAB?

Por que a faculdade de Direito não garante a aprovação na OAB?

Um dos grandes desesperos de qualquer estudante de Direito é o famoso Exame da OAB. E isso não é de se espantar, pois, uma prova cuja média de aprovados está sempre em torno dos 20% é algo que parece realmente assustador à primeira vista.

O candidato, por outro lado, deve ter em mente que a bagagem de conhecimento adquirida no decorrer do curso de Direito nem sempre é suficiente para ser aprovado nesse exame tão temido, pois existe uma grande desproporção entre as avaliações de muitas instituições e o próprio exame.

São tantas as faculdades de Direito existentes no Brasil, que muitas delas sequer possuem o selo de recomendação da OAB. Diante desse cenário, pouquíssimas universidades conseguem realmente preparar o aluno para o Exame da Ordem, e como não é todo mundo que tem a oportunidade de estudar em uma grande instituição, esse desnivelamento acaba sendo prejudicial ao próprio candidato.

Além disso, cada pessoa tem suas próprias dificuldades e maneiras de estudar. E praticamente nenhuma faculdade possui um plano de ensino diferenciado, capaz de focar nas deficiências de conhecimento de seus alunos, pois já possuem rotinas de estudo previamente preparadas, desconsiderando a particularidade de cada um.

Como se já não bastasse a grande pressão para a aprovação na OAB, o aluno do curso de Direito também tem que se preocupar em conseguir seu diploma. Por essas razões, é preciso saber a melhor maneira de se preparar.

Pensando nisso, separamos aqui algumas dúvidas comuns em relação a essa preparação. Continue a leitura do post e descubra como garantir a sua aprovação na OAB, independentemente da sua faculdade!

É possível passar na OAB e garantir o diploma ao mesmo tempo?

É comum imaginar que a aprovação no Exame da Ordem requer uma dedicação exclusiva. Nesses momentos, o candidato normalmente começa a entrar em pânico e se questionar: mas e a faculdade? Eu preciso me formar! Como estudar para conseguir as duas coisas ao mesmo tempo?

Calma! Não é preciso se desesperar. É claro que é possível conseguir a aprovação na OAB e o seu diploma em conjunto — e não é necessário abrir mão de um para conquistar o outro. Até porque, se assim fosse, imagine quantos alunos trancariam a faculdade apenas para prestar o Exame da Ordem!

É claro, porém, que esse sucesso concomitante vai depender de muita dedicação e estudo!

A melhor dica aqui é saber o que estudar. Muitos alunos de Direito se perdem na hora do planejamento, e isso pode ser o diferencial entre o sucesso e a reprovação. Para ajudar, use provas antigas para saber quais são as matérias mais cobradas na OAB e foque nelas.

Em relação à faculdade, privilegie o estudo das matérias em comum com a OAB. Isso não quer dizer que você deve abandonar todas as outras, mas apenas que deve dedicar um pouco mais de atenção às disciplinas que também serão cobradas no exame.

Acima de tudo o que já foi dito aqui, é importante ressaltar que quem está se preparando para o Exame da Ordem não deve deixar os estudos para a última hora. Quanto antes você começar a se preparar, maiores serão as chances de aprovação e menor será o estresse para conseguir conciliar os estudos!

Por fim, não se esqueça de revisar as matérias. Mesmo que a faculdade não seja suficiente para prepará-lo, é inegável que, ao final do curso, você estará cheio de resumos, exercícios e um mínimo de conhecimento sobre os vários temas que serão cobrados na prova da OAB. Portanto, essa é a hora de pegar tudo isso e começar a revisão.

Vale ressaltar aqui que a insegurança é algo muito comum entre os candidatos. Caso você sinta que não está preparado, não hesite em buscar ajuda externa. Existem cursinhos que são voltados especificamente para o Exame da Ordem, com um foco personalizado nos conteúdos em que o aluno tem maior dificuldade.

Qual é o momento ideal para prestar o Exame da Ordem?

Antes de começar este tópico, vale lembrar que, para prestar o Exame da Ordem, o candidato deve estar matriculado nos últimos dois semestres ou no último ano do curso de Direito. Dessa forma, o estudante deve ter em mente que não adianta querer fazer a prova antes desse período — a não ser que seja como treineiro.

Nesse momento, você deve estar pensando nos vários casos em que um estudante que não cumpria esses requisitos conseguiu se inscrever e ser aprovado sem problema algum. Sim, realmente essas exceções existem, e todo mundo já ouviu falar de um caso parecido.

Ao que parece, isso depende da comissão seccional do exame: algumas flexibilizam essa previsão do edital, e outras não. Mas não tome isso como regra! Seria extremamente frustrante conseguir a aprovação na OAB apenas para descobrir que ela não pode ser aproveitada, pois você não cumpriu os requisitos na hora de prestar o exame.

É válido salientar aqui que, de acordo com o próprio edital, mentir na hora de se inscrever pode incorrer no crime de falsidade ideológica. Ou seja: mais um motivo para não se arriscar! O melhor a fazer é ir estudando e esperar o momento certo para realizar o exame.

Tendo isso em mente, voltemos à questão principal: não existe um momento ideal para fazer a prova. Isso varia de pessoa para pessoa. Porém, é bom lembrar que, quanto antes você tentar, melhor. Afinal, caso não consiga ser aprovado na primeira tentativa, ainda terá outras chances antes mesmo de se formar.

Ainda dentro desse questionamento, vale ressaltar que o candidato aprovado no exame só pode requerer sua carteira depois de concluir a faculdade. E, ao contrário do que muitos pensam, não existe um prazo limite para esse requerimento! Caso seja aprovado antes de se formar, você ainda poderá trancar a faculdade, repetir algum semestre ou até mesmo concluir o curso e esperar o tempo que quiser até fazer o requerimento da carteira. O certificado de aprovação na OAB não expira nunca!

Dessa forma, depois de aprovado, você pode ficar tranquilo para terminar seu curso e concluir o TCC. Quando terminar sua graduação, basta ter o seu diploma ou certificado de conclusão de curso em mãos para requerer a tão esperada carteira da OAB.

Faz sentido realizar a prova como treineiro?

No momento da inscrição no exame, o candidato pode escolher fazer a prova como treineiro. Isso significa que, apesar de fazer a mesma prova que todos os outros candidatos, sua nota não será considerada para o ingresso na Ordem.

Então a pergunta é: qual o objetivo de se fazer a prova como treineiro?

Bem, a resposta é simples: isso vai te ajudar a treinar — como o próprio nome diz!

Não há dúvidas de que a resolução de exercícios é uma excelente maneira de estudar. Nesse sentido, realizar a prova da OAB como treineiro é uma das melhores formas de se preparar.

Como a prova é a mesma para todos, você poderá se acostumar com o seu estilo e entender seu formato. Estudar com a ajuda de avaliações anteriores é uma ótima forma de treinar para o verdadeiro momento em que você prestará o exame como candidato.

E o melhor de tudo é que não é preciso estar nos últimos dois semestres da faculdade para realizar a prova como treineiro, já que a nota não é considerada para a aprovação na OAB.

Estudar por conta própria ou contar com um cursinho preparatório?

Baseado em tudo o que foi dito até aqui, é evidente que o estudante de Direito muitas vezes se sente inseguro e despreparado para realizar o Exame da Ordem. E não há vergonha nenhuma nisso! Afinal, vamos ser sinceros: é uma responsabilidade muito grande e que, muitas vezes, é vista como uma obrigação, o que apenas piora a ansiedade.

Essa insegurança, porém, é um obstáculo que se coloca entre você e a aprovação. Por isso, cogitar a ajuda de um cursinho preparatório pode ser uma boa ideia.

Cabe reiterar aqui que as faculdades, por si só, não são capazes de preparar o candidato para essa prova. Seus métodos de ensino poucas vezes são focados no preparo para a OAB, sem contar que raramente levam em consideração as peculiaridades de cada aluno.

Dessa forma, fica muito difícil para o estudante descobrir o que é preciso aprimorar em seus estudos por conta própria. Sem a ajuda de um suporte especializado, você talvez nunca saberá quais são suas fraquezas e em que parte o seu aprendizado deverá ser melhorado.

Cursinhos preparatórios, como o Saraiva Aprova, são especializados em dar total apoio ao candidato, com métodos que identificam suas dificuldades e traçam o melhor caminho de estudos para cada um.

Além disso, a preferência por plataformas online garante uma flexibilidade maior e ajuda a poupar um tempo precioso ao estudante. Afinal, as aulas podem ser assistidas no conforto de seu próprio lar, sem que você precise se preocupar com trânsito e deslocamentos.

Os cursinhos na modalidade de educação a distância (EAD) permitem que o aluno planeje seus próprios horários, o que também ajudará na hora de conciliar os estudos para a OAB com a própria faculdade.

Optar por um cursinho, portanto, garante mais segurança e também maiores chances de ser aprovado.

Como montar um cronograma de estudos para a faculdade e para o Exame da OAB?

Esclarecidas as maiores dúvidas, agora é o momento de criar um método de estudo que permita conseguir a aprovação na OAB e também o diploma na faculdade.

Como já foi dito, nada é alcançado sem dedicação e estudo. É claro que essa não é a tarefa mais fácil do mundo, mas isso também não quer dizer que seja a mais difícil. Com força de vontade, tudo é possível!

Lembre-se de que cada estudante possui suas peculiaridades, portanto, não existe uma fórmula 100% certa de estudos. É preciso que você descubra o que mais se adapta ao seu perfil e, mais uma vez, um cursinho preparatório pode ser essencial nessa tarefa.

Vamos listar aqui alguns passos que podem te ajudar a se organizar nos estudos. Confira!

1. Conheça seus pontos fortes e fracos

O primeiro passo na hora de montar seu cronograma é conhecer a si mesmo. Todo estudante de Direito tem suas matérias favoritas e também as mais odiadas.

É evidente que você terá muito mais facilidade em estudar aquilo de que gosta. Sempre que fazemos algo com prazer, essa atividade se torna muito mais produtiva. Portanto, foque nas suas matérias favoritas!

Por exemplo, se você gosta e tem facilidade em aprender Direito Penal, aproveite e se dedique bastante a isso. Talvez esse seja o diferencial na sua aprovação!

Por outro lado, você também não pode se esquecer daquelas matérias odiadas, principalmente se elas fizerem parte da sua grade curricular atual. Esses são os seus pontos fracos, e a melhor forma de combatê-los é saber reconhecê-los.

A partir do momento em que você já tem consciência das matérias que são mais difíceis, fica muito mais fácil contorná-las. Com a ajuda de um plano diversificado de estudos, você vai conseguir se dedicar a essas matérias sem muito sacrifício.

2. Organize-se por prioridades

Depois de reconhecer suas forças e fraquezas, é hora de se adaptar à faculdade e ao Exame da Ordem.

Primeiramente, observe o edital da OAB e, entre as matérias cobradas ali, destaque aquelas que são suas favoritas. Por fazerem parte do seu ponto forte, são elas que devem receber mais atenção, pois serão essenciais na sua aprovação.

Em segundo lugar, é hora de destacar as matérias em comum com sua grade curricular atual. Como já estão sendo estudadas no semestre, fica muito mais fácil acompanhá-las em tempo real pela faculdade, e você pode, inclusive, tirar dúvidas com seu professor.

Por fim, é hora de dar atenção àquelas disciplinas que lhe causam um certo desgosto. É muito provável que aqui se concentre a maior parte das matérias. Não se assuste, pois isso é normal. Afinal, é de se esperar que você tenha mais matérias odiadas do que adoradas.

A melhor forma de lidar com essas matérias é saber como estudá-las — e isso nos leva ao próximo ponto.

3. Diversifique seus estudos

Ler doutrinas, resumos e leis sobre aquilo que você gosta é muito fácil. Mas tentar fazer isso com matérias que você odeia e tem dificuldade em aprender é outra história. Por isso, é preciso encontrar um meio termo nesse estudo, para que isso não se torne um suplício desnecessário — e a melhor maneira de fazer isso é saber diversificar seus estudos.

E como fazer isso? Bem, é muito simples: varie suas matérias e a forma de estudá-las!

Alterne entre aquilo que você gosta e aquilo que você odeia. Não leia apenas doutrinas, mas faça também exercícios, veja aulas online e leia resumos. Também é muito importante não se esquecer de fazer algumas pausas, afinal, uma mente cansada absorve bem menos conhecimento!

4. Faça esquemas e resumos

Ao longo da sua rotina de estudos, é importante sempre fazer pequenas anotações e resumos. Além de serem táticas que ajudam a fixar a matéria, eles também vão ser muito úteis na hora da revisão.

Não há nada melhor do que não ter que se preocupar em sair procurando por uma parte específica da matéria em doutrinas e leis, pois ela já está resumida e esquematizada em seus cadernos.

5. Resolva exercícios e simulados

Uma das melhores formas de estudar, seja para a OAB, para concursos, ou para a própria faculdade, é por meio de exercícios e simulados! Por isso, de todos os pontos mencionados até aqui, esse talvez seja o mais importante!

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) — responsável pela aplicação do exame — possui uma maneira peculiar de montar suas questões. Ao resolver provas antigas da OAB, você se acostumará com o estilo dessas questões e também fixará conteúdos já estudados.

Não se esqueça, obviamente, de verificar se as questões estão atualizadas e de acordo com a lei vigente. Esse método é muito útil, pois consegue prender a atenção do estudante e exige menos tempo do que a leitura incessante de doutrinas e leis. Dessa forma, o candidato terá tempo para também se dedicar às matérias finais da faculdade.

Mas atenção: não basta apenas pegar as questões e resolvê-las. É preciso também procurar compreender cada uma de suas alternativas, estudando o porquê de elas estarem certas ou erradas. A resolução de exercícios serve como um estudo complementar.

6. Crie mapas mentais

Mapas mentais são formas esquematizadas de memorização por meio da lógica e, como o Direito é um curso em que as matérias costumam ser bem interligadas, a criação de mapas mentais é uma dica perfeita para trabalhar sua memorização.

É possível criar um mapa mental ao dividir uma matéria em tópicos. Por exemplo, no caso do Exame da OAB, você pode usar a lista de matérias que serão cobradas (disposta no próprio edital da prova) para dividir seu mapa em categorias e subcategorias. Isso ajuda na memorização da matéria e também servirá como um guia para os seus estudos.

A criação de mapas mentais muitas vezes é mais eficaz do que outros métodos de memorização que existem por aí!

7. Revise o que já foi estudado

Quando a data da prova se aproxima, é normal ficar um pouco desesperado. Mas não se preocupe! Se você estiver com os estudos em dia e bem-organizados, essa é a hora de apenas revisar tudo o que já foi aprendido.

Não adianta querer ler doutrinas ou estudar a lei na véspera da prova. A ansiedade vai acabar atrapalhando sua concentração, fazendo com que você se confunda. Por isso, foque apenas em revisar a matéria por meio dos seus esquemas e resumos.

8. Mantenha a calma e a concentração

Por fim, e não menos importante, é preciso saber manter a calma. Sim, sabemos que é difícil, mas pense bem: a ansiedade não agrega nada. Muito pelo contrário, ela só atrapalha!

Um pouco de descanso é vantajoso para ajudar a manter a calma e, consequentemente, a concentração durante os estudos. Estressar a mente com muitas informações e pouco descanso acaba sendo prejudicial. Afinal, ninguém é de ferro!

Seguindo essas dicas, ficará bem mais fácil montar seu cronograma de estudos e conseguir conciliar o Exame da OAB com a faculdade.

Há alguma dica para combater o nervosismo?

Eis que surge a pergunta de um milhão de dólares: como combater a ansiedade e o nervosismo? Obviamente, não existe uma resposta certa para essa pergunta. Mas separamos aqui algumas dicas que podem te ajudar.

Antes de mais nada, saiba dosar os estudos com intervalos de descanso. Uma mente cansada não consegue absorver tantas informações, e isso pode acabar sendo um empecilho.

Durante seus intervalos de descanso, aproveite para fazer algo que te agrade: veja um filme, jogue videogame, saia com os amigos, entre outras coisas. O importante é permitir que sua mente se desligue por algum tempo.

Evite estimulantes ao longo da sua jornada rumo à aprovação na OAB. Por mais que você esteja ansioso, não abuse do café ou energéticos, pois eles podem acabar piorando a situação. O ideal é que você descanse caso sinta sono ou cansaço.

As noites devem ser reservadas para dormir! Evitar o sono é prejudicial à saúde e também aos estudos. É durante esse descanso que nossa mente consegue assimilar as informações obtidas e memorizá-las.

Outra dica que também ajuda a combater o nervosismo é a prática de esportes. Sair para uma caminhada, uma pelada com os amigos ou ir para a academia podem ser uma boa ideia. Os exercícios físicos liberam uma descarga de energia que nos causa a sensação de bem-estar, são excelentes para aliviar a mente e também ajudam a ter uma boa noite de sono.

Caso você não seja adepto dos exercícios físicos, a meditação e outros exercícios de relaxamento também podem ser uma boa ideia.

E não se esqueça: não deixe que a insegurança seja um obstáculo para o seu sucesso!

Com todas as dicas mencionadas aqui, você tem tudo para arrasar no Exame da Ordem e ainda conseguir seu diploma na faculdade.

Se você gostou deste post, temos muito mais para você, semanalmente!


Saiba como escolher o curso preparatório da OAB ideal para você

Saiba como escolher o curso preparatório da OAB ideal para você

Buscar os melhores cursos preparatórios para OAB, via de regra, faz parte da rotina do estudante que está prestes a se formar ou que obteve a graduação em Direito.

Ora, como você já deve saber, a aprovação no Exame da Ordem é um dos critérios para o exercício da profissão de advogado. Prova que, quase sempre, obriga os candidatos a revisar o conteúdo de praticamente toda a faculdade em alguns poucos meses.

Sendo assim, é bastante comum que os estudantes tenham dúvidas sobre como escolher o curso preparatório ideal. Até porque atualmente o mercado oferece uma centena de opções, não é mesmo?

Confira a seguir algumas dicas importantes para selecionar a melhor forma de preparo e aumentar suas chances de passar de vez!

1. Escolha um curso focado no Exame da Ordem

A preparação para OAB pode apresentar diferenças significativas em relação ao estudo para concursos públicos.

Ao ter contato com provas anteriores, o estudante rapidamente percebe que os assuntos e as formas como eles são cobrados podem variar de acordo com a banca examinadora.

Além disso, o Exame da Ordem tem suas características próprias tanto em relação ao conteúdo cobrado como à maneira de responder as questões.

Por isso, é recomendável que você opte por um treinamento 100% focado nesse tipo de avaliação. Quanto mais afinado o curso estiver com o Exame da Ordem, maiores as suas chances de ser aprovado.

2. Pesquise o histórico da marca

Em geral, o retrospecto fornece boas pistas sobre o desempenho futuro de uma pessoa ou serviço. Em entrevistas de emprego, o avaliador pergunta sobre a experiência profissional; em equipes de futebol, verifica-se os índices da última temporada, por exemplo.

Por sua vez, quando o assunto é encontrar os melhores cursos preparatórios para OAB, o histórico evidencia os efeitos concretos dos métodos aplicados na instituição de ensino.

Ao analisar o passado do curso, o candidato descobrirá se a maneira como o conteúdo é transmitido gerou aprendizado e, consequentemente, a aprovação dos alunos.

Por isso, inclua as seguintes práticas na hora de escolher um curso preparatório para OAB:

  • privilegiar marcas já consolidadas no mercado;
  • escolher instituições com uma boa reputação;
  • consultar os índices de aprovação;
  • pesquisar a opinião dos ex-alunos;
  • verificar o nome e a reputação das pessoas envolvidas no projeto, como professores, diretores de curso etc.

Assim, você fará uma escolha mais consciente e evitará riscos que possam comprometer a sua conquista.

3. Conheça o corpo docente

Em um curso preparatório da OAB, o ideal é que o corpo docente seja formado por vários professores, especialistas nos diversos ramos do Direito.

Isso ocorre porque cada setor possui características próprias, de modo que o profissional da área terá mais facilidade em fornecer os atalhos e caminhos para aprovação do candidato.

Nesse sentido, alguns indícios de uma equipe qualificada podem ser obtidos com as seguintes práticas:

  • leitura dos currículos e formação dos profissionais;
  • pesquisa sobre a reputação do professor no meio acadêmico e jurídico;
  • consulta a obras e artigos publicados;
  • visita a blogs e páginas pessoas, em que sejam publicados textos jurídicos;
  • entre outros.

Além disso, é fundamental que o corpo docente tenha experiência no ensino voltado para a aprovação no Exame da Ordem. Isso porque a maneira de transmitir o conhecimento é tão importante quanto a especialização da equipe.

Uma dica para constatar essa didática é procurar aulas demonstrativas ou palestras dos professores, as quais geralmente são disponibilizadas em páginas pessoais ou da instituição de ensino.

Por fim, é preciso ficar atento à capacidade de preparar emocionalmente o candidato, principalmente em relação aos mais ansiosos ou nervosos. O professor tem o papel de motivar e transmitir confiança ao aluno para que o desempenho em aula se reflita na hora H.

De fato, a questão emocional é tão importante que, em muitos casos, um processo de coaching para OABpode ser fundamental para aumentar as chances de aprovação.

4. Confira o material didático

Revisar o conteúdo de quatro ou cinco anos de faculdade nos poucos meses que antecedem o Exame da Ordem requer eficiência nos estudos. Por isso, o estudante deve dispor de um material didático objetivo, de fácil visualização e interpretação.

Do contrário, não haverá tempo hábil para relembrar os conceitos das várias disciplinas e memorizar os pontos-chave que podem ser cobrados na prova.

Nesse sentido, você deve pesquisar sobre os formatos utilizados pela instituição de ensino (videoaulas, slides, material de texto em PDF etc.), olhando sempre para os profissionais por trás de sua elaboração.

Vale ressaltar que o melhor padrão de qualidade, atualmente, é atingido com videoaulas curtas e online, as quais facilitam a compreensão do aluno e evitam os efeitos do cansaço.

Esse tipo de conteúdo respeita os períodos médios em que as pessoas conseguem manter sua atenção focada (cerca de 20 minutos), além de facilitar a revisão de pontos específicos da matéria.

Já no caso dos conteúdos escritos, considere também a apresentação dos assuntos. No geral, páginas ilustradas, esquemas, quadros ilustrativos e mapas mentais contribuem para a fixação da matéria.

5. Pesquise sobre a possibilidade de personalizar o plano de estudos

Ao final de 3, 4 ou 5 anos de faculdade, é natural que os candidatos se encontrem em estágios de preparação diferentes. Isso não só pela quantidade de esforço e tempo disponível, mas pela própria afinidade com as disciplinas.

Nesse sentido, caso todos recebam o mesmo conteúdo, a tendência é que nenhum aluno atinja o máximo do seu potencial. Por exemplo, o candidato nota 10 em Direito do Trabalho não precisa da mesma ênfase nessa matéria do que o estudante nota 3, embora possa ter dificuldades em Civil, Penal etc.

É importante destacar também que o estudante terá mais chances caso ele aumente os acertos nas matérias em que apresenta dificuldades, em vez de tentar gabaritar aquelas em que já acertaria 80% ou mais.

Tal fato se deve principalmente ao objetivo de acertar 50% do Exame e a mescla de questões fáceis, médias e difíceis. Por exemplo, o aluno que sobe os acertos em Direito Constitucional de 1 para 5 conquista mais pontos do que quem vai de 5 até 7.

Em suma, subir as notas ruins para algo um pouco acima da média concede mais pontos do que tentar gabaritar itens em que já se obteria um índice alto.

Além disso, em geral, para chegar a um valor acima da média, o candidato tem de lidar com as perguntas fáceis e médias, ao passo que para fazer 100% enfrentará inevitavelmente as mais difíceis.

Sendo assim, contar com a personalização do plano de estudos será fundamental para sua aprovação e deve ser um critério para escolha do curso preparatório para OAB.

6. Avalie a oferta de material complementar

Você já deve ter ouvido falar que o Exame da Ordem possui um nível de exigência alto para a obtenção da aprovação. Afinal, o Direito requer bastante fundamentação teórica por parte do estudante, sem a qual dificilmente se atinge um índice suficiente para aprovação nas provas.

Nesse sentido, é recomendável que o candidato estude com um excelente material complementar, especialmente livros e Vade Mecuns de editoras importantes.

Por isso, os melhores cursos preparatórios investem pesado para oferecer itens de qualidade e aumentar as chances de seus alunos passarem de vez.

Até porque a própria reputação da escola estará em jogo caso a ampla maioria dos matriculados não consiga uma nota satisfatória, bem como o interesse de novos estudantes na instituição.

Sendo assim, uma boa oferta de material complementar é um forte indício da qualidade do curso preparatório e do comprometimento com a aprovação do estudante.

7. Certifique-se da atualidade do curso preparatório

O programa do curso e os materiais de estudo precisam acompanhar as constantes transformações do Direito, seja em virtude de novas leis ou da atuação do Poder Judiciário. Só nos últimos anos, houve a substituição do Código de Processo Civil, a edição de um novo Código de Ética da OAB e uma Reforma Trabalhista, por exemplo.

Sendo assim, você deve buscar instituições que constantemente atualizem o material de estudo, para não perder pontos em razão de um conteúdo ultrapassado.

Uma dica importante é verificar a grade curricular e a data de publicação dos materiais oferecidos, bem como checar se os assuntos abordados são compatíveis com a legislação mais recente.

Com isso, você terá mais segurança de que o conteúdo abordado, de fato, reflete os assuntos cobrados no Exame da Ordem.

8. Considere a infraestrutura do curso preparatório da OAB

A cada edição da prova unificada da Ordem dos Advogados do Brasil, milhares de estudantes se inscrevem. Da mesma forma, grande é o número de alunos que procura por um curso preparatório da OAB.

Para dar conta do recado, a escola que oferece o treinamento deve ter uma excelente infraestrutura, de modo a atender com qualidade à demanda.

Por exemplo, um curso presencial deve oferecer uma sala adequada para aulas, uma biblioteca, materiais didáticos, atendimento de secretaria etc.

Já um curso feito na modalidade de educação a distância precisa oferecer acesso permanente para o aluno, um ambiente virtual adequado e meios de contato com a equipe da instituição.

Nesse sentido, os servidores devem suportar a quantidade de alunos online, sem apresentar quedas ou lentidão durante o estudo.

Por outro lado, o ambiente virtual de aprendizagem (AVA) deve contar com uma interface amigável e recursos que facilitem a compreensão dos conteúdos.

Por fim, o suporte oferecido pela escola deve conter mecanismos para se tirar dúvidas pela internet, relatar problemas, dificuldades de acesso e coisas do mesmo gênero.

Cada um desses itens pode ser um diferencial para evitar dores de cabeça e realizar uma preparação tranquila para OAB.

9. Analise o método de ensino presencial ou a distância

Um quesito importante na escolha de um curso preparatório da OAB é o método de ensino. Muitos alunos gostam do modelo presencial, por valorizarem uma rotina de aulas, como havia na faculdade. Já outros preferem a flexibilidade de um curso feito pela internet.

A educação a distância (EAD), vale ressaltar, é a tendência nos dias de hoje, uma vez que é cada vez mais difícil compatibilizar os horários de um grande número de pessoas e realizar a preparação integralmente em sala de aula.

Além disso, os cursos online são os que oferecem o universo mais amplo de conteúdos e material, embora exijam um pouco mais da disciplina do aluno.

De todo modo, alguns pontos podem ser destacados como características dos melhores métodos de preparação para OAB:

  • oferecer avaliações e relatórios de desempenho, permitindo a análise do progresso do aluno;
  • possibilitar o ajuste do plano de estudos para enfatizar às matérias em que o aluno tem mais dificuldades;
  • disponibilizar aulas para serem assistidas várias vezes, preferencialmente curtas (cerca de 20 minutos), em cursos EAD;
  • contar com aulas exclusivas para OAB, em vez de aulas compartilhadas entre diferentes cursos;
  • oferecer opções de horários compatíveis com a necessidade do aluno;
  • atualizar o conteúdo de acordo com o perfil da banca examinadora do Exame da Ordem;
  • entre outros.

Para obter informações sobre a metodologia do curso, consulte as páginas das instituições de ensino e confira os principais pontos em destaque.

10. Leve em conta a existência de exercícios e simulados

Estudar a teoria é importante, porém, você será avaliado por um método específico durante a prova e não pela quantidade de conhecimento em sua cabeça.

Logo, o curso preparatório da OAB deve também oferecer maneiras de treinar o candidato por meio de exercícios e simulados.

De fato, a prática de responder questões objetivas é importantíssima para a preparação do candidato, especialmente em provas mais longas como a da OAB. Isso acontece porque, além de aumentar a retenção do conteúdo, ela treina a própria habilidade de lidar com os desafios do exame.

Por outro lado, é igualmente importante que, ao final de um simulado ou exercício, o aluno tenha acesso a relatórios de desempenho e possa acompanhar sua evolução.

Dessa forma, o candidato pode enfatizar os pontos da matéria em que apresenta mais dificuldades e chegar no dia da prova mais seguro de seu próprio desempenho.

Com efeito, as chances de ser bem-sucedido e passar de vez serão grandes!

Pois bem, agora que você já conhece os critérios para identificar os melhores cursos preparatórios para OAB, que tal começar os estudos?

O Saraiva Aprova oferece uma condição imperdível: aprovação ou seu dinheiro de volta! Confira as regras do programa e toda estrutura que estará a sua disposição em nosso site!

Quais são os melhores livros para estudar para a OAB?

Quais são os melhores livros para estudar para a OAB?

Passar no Exame da Ordem geralmente significa ter muita dedicação, abdicar de tempo livre para focar nos estudos, contar com uma boa didática e, especialmente, com os materiais corretos.

Livros atualizados são obrigatórios para quem quer fazer uma boa prova e satisfazer todos os requisitos do edital do exame. Porém, para além das últimas edições, você conhece os melhores livros para estudar para a OAB?

Se você não sabe ou ainda não tem certeza de que materiais utilizar para garantir sua aprovação, então este post é para você!

Conheça agora os principais títulos para obter sucesso e passar de vez na OAB!

Os melhores livros para estudar para a primeira fase da OAB

primeira fase do Exame de Ordem exige que o candidato demonstre domínio das matérias que estudou durante o curso, sem muitos conhecimentos aprofundados. Para se preparar para essa fase, vale apostar em livros com conteúdo revisional, bem como livros com questões (de preferência comentadas) de exames passados.

Conheça os 3 principais títulos que podem fazer diferença para a aprovação na primeira fase do certame:

1. Vade Mecum Saraiva (OAB e Concursos)

É de conhecimento geral que o Vade Mecum da Editora Saraiva costuma ser o que melhor atende às necessidades dos examinandos por ser fácil de manipular, contar com índice remissivo completo, guia de manipulação rápida, regimento dos Tribunais Superiores (STJ e STF) e mapa de legislação.

O livro será importante tanto para primeira quanto para a segunda fase da prova. E criar uma afinidade com o material fará com que você possa manipulá-lo com mais agilidade, ganhando um tempo verdadeiramente necessário para desenvolver melhor seu raciocínio e elaborar respostas completas para as questões discursivas.

Não se esqueça de sempre comprar a última edição disponível no mercado do Vade Mecum, bem como acompanhar atualizações que possam ser disponibilizadas online pela própria editora.

2. Exame da OAB Unificado – 1ª fase

Redigido por grandes juristas e coordenado por Ana Flávia Messa e Ricardo Andreucci, o livro Exame da OAB Unificado – 1ª fase conta com a aprovação de estudantes e tem sido de grande valia para que os examinandos garantam sua aprovação.

Cada capítulo reúne uma análise cuidadosa de cada matéria cobrada no certame, destacando novidades legislativas e conferindo especial atenção ao Novo Código de Processo Civil e a Lei nº 13.256 de 2016.

3. OAB Esquematizado – 1ª Fase

Criado com exclusividade para quem pretende prestar o Exame da Ordem, o livro OAB Esquematizado tem mais de mil páginas e foi coordenado pelo professor Pedro Lenza, autor e professor reconhecido em todo país.

O material conta com questões resolvidas e comentadas de todas as matérias cobradas nos últimos exames aplicados, além de ter um projeto gráfico voltado para uma fácil memorização dos conteúdos.

O livro faz parte do material disponibilizado pelo Saraiva Aprova, trazendo ainda material de apoio em PDF, questões comentadas e videoaulas para que o candidato possa aprender da maneira que melhor lhe aprouver.

Os melhores livros para estudar para a segunda fase da OAB

Para a segunda fase do exame, o candidato deve contar com um bom material específico para a área que escolher, além de um Vade Mecum atualizado. Algumas obras se destacam no momento dos estudos:

1. Manual de Direito Administrativo

O Manual de Direito Administrativo da professora Licínia Rossi foi feito especialmente para a OAB e concursos, com recursos exclusivos para que o examinando possa otimizar e sistematizar o conteúdo, assimilando-o de maneira eficiente.

No livro, a autora apresenta as principais divergências doutrinárias na matéria, esquemas gráficos, decisões reconhecidas pelo STF com repercussão geral, comparações com a doutrina estrangeira, questões comentadas, guia para estruturação de peças prático-processuais, tabela de prazos e dicas para véspera da prova.

2. Manual de Prática Civil

O manual dos professores Fernanda Tartuce e Luiz Dellore possui um diferencial de agradar a todos os públicos, sendo especialmente vantajoso para quem vai prestar o Exame da Orde. Além de conter a teoria exigida no edital, traz questões para facilitar a assimilação do conteúdo.

A obra é atualizada e passou por intensa adequação para estar de acordo com o Novo Código de Processo Civil (e suas alterações), trazendo novidades da jurisprudência formada com base nas novas legislações.

3. Prática Civil – Passe na OAB 2ª Fase FGV – Col. Completaço

O livro de Marcelo Hugo da Rocha é uma boa aposta para aqueles que farão questões discursivas na área de Direito Civil, já que traz teoria, questões, modelos, súmulas e jurisprudências de forma objetiva e direta.

Chamado de o “livro definitivo” da segunda fase da OAB, a obra traz um passo a passo para que o candidato aprenda a pensar nos moldes daquilo que a FGV pede e possa elaborar respostas semelhantes às do gabarito da banca.

4. Prática Constitucional – Passe na OAB 2ª Fase – Col. Completaço

Seguindo a coleção Completaço, o autor Marcelo Hugo da Rocha apresenta teoria e questões da área de Direito Constitucional nos mesmos moldes dos outros livros: reunindo a experiência das salas de aula para passar o conteúdo da maneira mais didática possível.

5. Direito Empresarial Esquematizado

O coordenador Pedro Lenza apresenta seu manual de Direito Empresarial de maneira simplificada, o que facilita a retenção de conteúdo por parte do examinando. Ele trata, em especial, sobre a evolução da doutrina e sobre as jurisprudências mais atuais nos Tribunais do país.

Na edição mais recente, o autor pontua questões como mudanças na lei introduzidas pelo Novo CPC (especialmente no rito parcial da sociedade) e sobre a possibilidade de um único endereço de residência e estabelecimento comercial no caso do MEI.

6. Prática Penal Para Exame da OAB

Ana Flávia Messa oferece nesse livro diretrizes práticas para que o examinando possa elaborar peças exclusivas do Direito Penal, bem como aprenda a estruturar boas respostas para questões discursivas cobradas na área.

Em sua última edição, a autora tratou de apontar mudanças do Código de Processo Civil que refletem (na prática) no Direito Penal.

7. Passe na OAB 2ª Fase FGV – Completaço – Prática Trabalhista

A obra do professor Bruno Klippel foi pensada como um guia definitivo para o candidato que optou pela matéria de prática trabalhista na segunda fase do Exame da Ordem. Seu conteúdo é atualizado e confiável.

Nele, há teoria, modelos de peças prático-processuais, enunciados de Tribunais, OJs e questões comentadas para que o leitor reforce o aprendizado com a prática.

8. Direito Tributário Esquematizado

De autoria do professor Roberto Caparroz, o livro Direito Tributário Esquematizado já traz benefícios desde o seu projeto gráfico, já que foi projetado especialmente para facilitar a memorização e assimilação dos principais temas da matéria.

O livro é completo e perfeito para o candidato que vai prestar a segunda fase do exame, já que além da doutrina, traz questões de provas, entendimentos de tribunais superiores e reprodução de artigos da Constituição Federal e do Código Tributário Nacional. Assim, o examinando não precisa recorrer a outras fontes para estudar.

Agora que você já conheceu os melhores livros para estudar para a OAB, que tal conhecer nossa seleção especial de materiais gratuitos para a primeira fase do exame?

5 melhores práticas para resolver questões da OAB

5 melhores práticas para resolver questões da OAB

Muita gente acha que resolver questões da OAB é um verdadeiro bicho de sete cabeças — pois muito se fala na dificuldade da prova e nos índices de reprovação.

Na verdade, não há motivos para desespero: investindo em uma boa preparação e utilizando algumas táticas, é possível aumentar (e muito) as suas chances de aprovação.

No artigo de hoje, separamos 5 dessas melhores práticas para resolver questões da OAB. Vamos ver quais são elas?

1. Destaque as informações importantes

O primeiro passo para resolver questões da OAB é destacar as informações importantes fornecidas pelo enunciado. Afinal, é comum que os candidatos, ansiosos na hora da prova, leiam a questão rapidamente e passem batido por detalhes cruciais para a sua resolução.

Por isso, antes de qualquer coisa, leia o enunciado com calma, destacando as palavras mais importantes: como “correta”, “incorreta”, “certa” e “errada”.

Prestar atenção a essas palavras é essencial para garantir um acerto — é muito comum que os candidatos, ansiosos com a prova, se confundam e marquem a alternativa correta em uma questão que pede a incorreta (ou vice-versa).

2. Elimine alternativas

Depois de destacar as informações importantes de uma questão, o próximo passo é eliminar as alternativas claramente incorretas. O examinador sempre inclui uma ou duas afirmativas desse tipo nas questões, então, é importante excluí-las de cara para aumentar as suas chances de acerto.

Veja o exemplo de uma questão de Filosofia do Direito do XVIII Exame da OAB, em que uma das alternativas afirmava que “interpretar um texto significa alcançar o único sentido possível de uma norma conforme a intenção que a ela foi dada pelo legislador.”

Ainda que você não tenha certeza da resposta correta, é simples deduzir que interpretar um texto não significa alcançar o único sentido possível de uma norma, certo? Essa alternativa, portanto, poderia ser eliminada de cara.

É importante destacar que os termos generalizadores — como “sempre”, “jamais” e “nunca” — quase sempre indicam assertivas incorretas. Como estudante de Direito, você já deve ter reparado que a resposta para a maioria das perguntas é “depende”, né? Por isso, desconfie quando se deparar com uma assertiva que generalize demais a resposta.

3. Otimize o seu tempo

A administração do tempo é um dos grandes desafios para quem vai fazer a prova da OAB. São 5 horas para resolver 80 questões objetivas, e ainda é necessário separar um tempo para preencher o seu cartão de respostas. Colocando na ponta do lápis, são aproximadamente 3 minutos e meio para cada questão. Apertado, né?

Por isso, saber otimizar seu tempo é crucial para ter um bom desempenho. Uma boa forma de fazer isso é começar pelas matérias com as quais você tem mais facilidade. Essas questões serão resolvidas mais rapidamente, de forma que você terá mais tempo ao final da prova para responder às perguntas mais difíceis.

Além disso, você também estará mais descansado mentalmente no início da prova. Começando por um assunto que você domina, você praticamente garante alguns acertos — já que as chances de errar por bobeira serão bem menores.

Também é importante lembrar que essa tática tem um ótimo efeito psicológico: nada como começar lendo as questões das quais você já sabe as respostas para ganhar confiança para o resto da prova, certo?

4. Fique atento às pegadinhas

Não são apenas os seus conhecimentos jurídicos que o Exame da Ordem quer testar: a atenção do candidato também será analisada. É justamente por isso que a prova costuma vir recheada de “pegadinhas”, ou seja, questões feitas para induzir um candidato mais desatento ao erro.

Para resolver questões da OAB, é indispensável ficar de olho para não cair nos truques do examinador.

Uma das pegadinhas mais recorrentes no Exame da Ordem é a mistura de afirmações corretas e incorretas em uma mesma alternativa. Se um candidato lê uma dessas alternativas com pressa, pode não atentar à sua parte falsa e considerá-la como correta.

Outra pegadinha bastante comum é misturar os conceitos. Um exemplo: em uma afirmativa sobre Direito Penal, consta que arrependimento eficaz ocorre quando o agente desiste de prosseguir na execução do crime, enquanto que, na desistência voluntária, ele impede que o resultado se produza. Lendo com pressa, a alternativa pode parecer correta; entretanto, os conceitos estão trocados: o primeiro conceito é o de desistência voluntária, enquanto o segundo é o de arrependimento eficaz.

Para evitar erros como esse, basta ler todas as alternativas com muita calma.

5. Verifique informações que se repetem

Na maioria das questões da prova da OAB, as diferentes alternativas repetem algumas informações. Analisando essas informações, é possível eliminar algumas das assertivas incorretas.

Para exemplificar essa prática, vejamos como exemplo uma questão do XXII Exame da Ordem:

“Cláudio, advogado inscrito na Seccional da OAB do Estado do Rio de Janeiro, praticou infração disciplinar em território abrangido pela Seccional da OAB do Estado da São Paulo. Após representação do interessado, o Conselho de Ética e Disciplina da Seccional da OAB do Estado do Rio de Janeiro instaurou processo disciplinar para apuração da infração.

Sobre o caso, de acordo com o Estatuto da OAB, o Conselho de Ética e Disciplina da Seccional da OAB do Estado do Rio de Janeiro:

a) não tem competência para punir disciplinarmente Cláudio, pois a competência é exclusivamente do Conselho Seccional em cuja base territorial tenha ocorrido a infração, salvo se a falta for cometida perante o Conselho Federal.

b) tem competência para punir disciplinarmente Cláudio, pois a competência é exclusivamente do Conselho Seccional em que o advogado se encontra inscrito, salvo se a falta for cometida perante o Conselho Federal.

c) tem competência para punir disciplinarmente Cláudio, pois a competência é concorrente entre o Conselho Seccional em que o advogado se encontra inscrito e o Conselho Seccional em cuja base territorial tenha ocorrido a infração, salvo se a falta for cometida perante o Conselho Federal.

d) não tem competência para punir disciplinarmente Cláudio, pois a competência é exclusivamente do Conselho Federal, ainda que a falta não tenha sido cometida perante este, quando o advogado for inscrito em uma Seccional e a infração tiver ocorrido na base territorial de outra.”

Nesse exemplo, duas das opções afirmam que o Conselho tem competência para punir Cláudio; as outras duas, afirmam que não. Se você sabe que a competência para punir é da Seccional em que foi praticada a infração (no caso da questão, em São Paulo), já pode eliminar as assertivas em que se repetem a informação (errada) de que a competência seria da Seccional do Rio de Janeiro!

Mesmo que você não saiba a resposta correta, nesse caso já eliminou duas alternativas com informações erradas que se repetiam, aumentando as suas chances de acerto.

Resumindo

  1. Destaque as informações importantes: isso aprimora o foco e evita confusão nas respostas.
  2. Elimine alternativas: para aumentar as probabilidades de acerto.
  3. Otimize o seu tempo: para concentrar sua energia nas questões que você sabe responder.
  4. Fique atento às pegadinhas: isso evita erros bobos e pode ser a diferença entre 39 e 40 acertos.
  5. Verifique informações que se repetem: para que você consiga responder uma questão mesmo sem ter completo domínio sobre ela.

 

E você, curtiu nossas dicas para resolver questões da OAB? Nós estamos sempre revisitando os Exames para trazer dicas e notícias em primeira mão para você.


Interpretação de questões: dicas para compreender a OAB

Criada em 1843, a OAB é a principal entidade de representação profissional de advogados no território nacional. Além de ser um órgão reconhecido, é ela a responsável pela aplicação do Exame da Ordem — via formal para que um bacharel em Direito se torne apto a exercer o poder postulatório.

Apesar disso, a prova da OAB é reconhecida por ser um grande desafio para os estudantes, mas existem algumas técnicas que podem otimizar a resolução da prova e garantir o sucesso na aprovação do candidato.

Pensando nisso, nós da Saraiva Aprova preparamos um artigo com os principais aspectos relacionados à interpretação de questões da OAB. Venha aprimorar seus conhecimentos!

Estrutura do exame

Segundo dados publicados pela própria OAB, apenas um pequeno grupo de 25% do total de candidatos é aprovado no primeiro exame. Isso demonstra como a prova é complexa e a importância em otimizar os estudos de forma eficiente.

Sendo assim, é importante que o estudante conheça, também, alguns pontos importantes sobre a estrutura da prova. Veja:

  • duração da prova objetiva (1ª fase): 5 horas;
  • número de questões da prova objetiva (1ª fase): 80 questões de múltipla escolha com 4 alternativas cada;
  • duração da prova prática (2ª fase): 5 horas;
  • estrutura da prova prática (2ª fase): questões dissertativas e peça relacionada com a área de estudo escolhida.

Essa estrutura, apesar de simples, destaca o nível de atenção que o estudante precisa assumir diante da prova. É necessário acertar 50% das questões na primeira prova e, na segunda parte (que vale 10 pontos), a OAB exige uma nota mínima de 6 para a aprovação final.

Técnica para interpretação das questões

Saber interpretar um texto corretamente é um requisito básico para quem quer ser aprovado em um exame prático, como é o da OAB. Nesse contexto, é fácil perceber como, por muitas vezes, candidatos que possuem o domínio do conteúdo, mas, na hora de colocar tudo em prática, acabam confundindo qual é o objetivo da pergunta. Entenda como agir nesses casos:

1. Faça uma leitura crítica

Uma primeira dica para resolver esse problema é exercitar a leitura crítica: leia bastante, pare e reflita sobre o que foi falado e tire suas próprias conclusões sobre o tema. Como o Direito não é uma ciência exata, diversos autores acabam seguindo uma linha de pensamento.

Dessa forma, essa prática pode auxiliar tanto na sua capacidade crítica/interpretativa quanto na própria formação do conhecimento técnico.

2. Destaque as palavras importantes

Como se trata de uma prova extensa e cansativa, uma boa prática para facilitar a interpretação de questões é destacar palavras que resumem o assunto principal do enunciado, inclusive sublinhando os casos que apresentam o termo correto/incorreto.

Assim, a probabilidade de errar uma questão por equívoco na interpretação é reduzida consideravelmente, aumentando, portanto, suas chances de aprovação.

3. Escaneie a questão

Outra dica para ajudar você na interpretação de questões: logo após receber a prova, faça uma leitura rápida — cuidado para não demorar mais do que o necessário — escaneando as questões e seus temas.

Com uma leitura prévia, vai ser mais fácil resgatar conceitos estudados, auxiliando na interpretação das questões e, consequentemente, na resolução delas.

4. Elimine alternativas

Caso encontre dificuldades ou dúvidas em uma opção, leia com calma todas as alternativas — eliminando uma por uma. Descartando improváveis respostas, a chance de acerto na questão aumentará consideravelmente.

Essa técnica, além de garantir suas chances de acerto, reduzirá o tempo de resolução da questão, uma vez que não será necessária a releitura das alternativas eliminadas.

Interpretação de questões na prática

De nada adianta entender todos os conceitos para interpretar questões da melhor maneira e não os colocar em prática. Pensando nisso, separamos algumas questões que já caíram no Exame da Ordem em anos anteriores para ajudar você a se preparar para seu teste.

Exemplo 1

Para entender a importância da interpretação de questões na aprovação da OAB, vamos tomar como base uma questão objetiva da FGV. Vejamos:

(OAB/FGV 2010.2) A respeito do Conselho Nacional de Justiça é correto afirmar que:

(A) é órgão integrante do Poder Judiciário com competência administrativa e jurisdicional.

(B) pode rever, de ofício ou mediante provocação, os processos disciplinares de juízes e membros de Tribunais julgados há menos de um ano.

(C) seus atos sujeitam-se ao controle do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça.

(D) a presidência é exercida pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal que o integra e que exerce o direito de voto em todas as deliberações submetidas àquele órgão.

Como podemos ver, a questão é bem objetiva com a pergunta central, não exigindo nenhum raciocínio lógico ou crítico do candidato, apenas o conhecimento sobre o tema. Entretanto, quanto mais simples a questão for, maiores são as chances de nos depararmos com as “pegadinhas”.

Portanto, leia atentamente, destacando as palavras principais e eliminando alternativas incorretas. Fazendo isso, a probabilidade de acerto cresce, diminuindo as chances de dúvidas ou erros.

Exemplo 2

Além do estilo de questões demonstrada no primeiro exemplo, existem as que requerem mais do raciocínio e concentração do candidato.

(OAB/FGV 2010.2) Assinale a alternativa que preencha corretamente as lacunas do texto:

“para a ocorrência de __________, não basta a imputação falsa de crime, mas é indispensável que em decorrência de tal imputação seja instaurada, por exemplo, investigação policial ou processo judicial. A simples imputação falsa de fato definido como crime pode constituir __________, que, constitui infração penal contra a honra, enquanto a __________ é crime contra a Administração da Justiça”.

(A) denunciação caluniosa, calúnia, denunciação caluniosa.

(B) denunciação caluniosa, difamação, denunciação caluniosa.

(C) comunicação falsa de crime ou de contravenção, calúnia, comunicação falsa de crime ou de contravenção.

(D) comunicação falsa de crime ou de contravenção, difamação, comunicação falsa de crime ou de contravenção.

Além de requerer conhecimentos que vão adiante do dispositivo legal e da doutrina, esse tipo de questão exige uma interpretação dos termos utilizados, podendo confundir o candidato.

Por isso, alternativas como essas demandam por um trabalho e um desgaste mental maior — e devem ser feitas cuidadosamente pelo candidato, evitando possíveis erros.

E então, leitor? Gostou do nosso conteúdo? Quer começar a estudar agora mesmo para o Exame da Ordem? Então conheça a melhor opção para você: estudar por conta própria ou fazer um curso preparatório?

Passe na OAB ou tenha o seu dinheiro de volta

Sim, é isso mesmo que você acabou de ler!

Se você chegou até esse artigo, no mínimo teve curiosidade em saber a veracidade dessa informação, não é mesmo?

Não existe pegadinha e nenhuma mentira por aqui. Nós, do Saraiva Aprova, confiamos tanto em você e na qualidade do nosso curso preparatório para a primeira fase da OAB, que vamos devolver o valor completo que você investiu na compra do curso caso não seja aprovado na prova. Isso mesmo!

Vou te contar sobre como funciona essa nossa condição mais que especial. Vamos lá!?

A metodologia do curso de primeira fase da OAB do Saraiva Aprova 

É muito importante entender como é a metodologia de ensino do Saraiva Aprova. Assim você irá compreender como temos tanta certeza de que você irá passar na OAB com nosso curso preparatório online.

Nós, da Saraiva, temos mais de 100 anos de tradição no mundo do Direito e conhecemos bem tudo o que você precisa para passar na OAB 🙂 Por isso, criamos uma plataforma completa, personalizada e 100% focada na sua aprovação.

Com nossa metodologia você não tem apenas conteúdo, mas diagnóstico preciso e garantia de resultado. Aí você se pergunta: Como assim garantia de resultado? Calma, eu vou explicar!

Funciona assim: de acordo com o tempo restante para o dia da prova, montaremos para você um cronograma. Ele é uma orientação para os seus estudos e o ideal é que você deixe-o personalizado com suas dificuldades e como tempo diário de estudo.

Você terá acesso liberado em nossa plataforma a aproximadamente 220 horas de videoaulas com slides preparados pelos principais especialistas em OAB do Brasil, material em PDF com resumos e esquemas que você pode baixar e imprimir, 20 mil questões para treinar quando quiser e módulo de coaching para preparar o seu psicológico.

Já pensou, estudar com os principais especialistas em OAB do Brasil como: Pedro Lenza, Alexandre Salim, André Barbieri, Licínia Rossi, Marcelo Hugo e, como se não bastasse, ter a garantia de aprovação ou o seu dinheiro volta?

Não só é possível, como também é real. E assim, acreditando em nossa metodologia, em nosso dreamteam de especialistas e principalmente na sua capacidade e dedicação, vamos garantir a sua aprovação na OAB ou devolveremos o seu dinheiro.

Como assim dinheiro de volta?

Nós, do Saraiva Aprova, nos comprometemos a proporcionar a você, por meio da nossa plataforma, tudo o que é preciso para ser aprovado no Exame de Ordem e contamos com a sua dedicação e esforço para que juntos consigamos alcançar a sua tão sonhada carteirinha da OAB.

Foi pensando nisso que definimos algumas condições de participação, as quais, nos ajudam a garantir que você vai ser aprovado:

  • Poderão participar dessa campanha todos os alunos que se prepararem para os próximos Exames de Ordem com o Saraiva Aprova;
  • Você deve concluir seus estudos na plataforma e alcançar uma nota mínima de 60% de acertos (acertar 48 das 80 questões) no Simulado OAB Final, que é o último simulado do nosso curso online para OAB;
  • O aluno que tiver esses pré-requisitos citados acima e não for aprovado no Exame de Ordem, terá o valor completo do curso devolvido diretamente na sua conta bancária em, no máximo, 90 dias.

Simples assim, sem mistério =)

Se precisar, como devolveremos o seu dinheiro?

Caso o aluno preencha os requisitos estabelecidos, após concluir os 6 meses de curso ele poderá solicitar o reembolso ou renovação do acesso de forma gratuita, no prazo de até 30 dias contados do término do contrato. Após a solicitação, em até 90 dias reembolsaremos integralmente o valor investido no curso online ou liberaremos em até 5 dias úteis o acesso novamente. Mas não precisa se preocupar com isso, você vai passar na OAB!

Não pensaríamos em nada disso se, acima de tudo, não acreditássemos em você.

Cremos na sua capacidade e temos certeza que toda a sua dedicação aliada à preparação com o Saraiva Aprova é a fórmula certa para conquistar a tão sonhada aprovação na OAB.

Agora não tem mais desculpas. Vem correndo e garanta a sua aprovação no Exame de Ordem com o Saraiva Aprova!

Depois de tudo isso, você ainda tem dúvida se o Saraiva Aprova é a melhor opção? Acredito que não, mas vou te mostra o depoimento da nossa ex-aluna, Mayara Ferrari, que conseguiu sua carteirinha da OAB com o apoio do nosso curso de primeira fase:

Faça como a Mayara, venha se preparar para o Exame de Ordem conosco e garanta sua aprovação. Clique no banner abaixo e vamos juntos conquistar a sua carteirinha da OAB!

Como garantir a aprovação ao estudar online?

Qual é a melhor forma de conseguir a aprovação no Exame da Ordem? Se a sua resposta foi “fazer um bom curso”, ela está correta! No entanto, talvez você não tenha pensado que é possível estudar online e ainda garantir uma enorme vantagem em relação aos concorrentes. Quer saber como? Nós vamos contar o segredo!

Por que estudar online?

Na verdade, a lista de motivos para optar por um curso online é muito grande. Por isso, vamos apenas sintetizar as principais razões pelas quais essa é uma alternativa muito interessante para quem quer se preparar para o exame da OAB:

  1. Se você estiver em uma grande cidade, pode utilizar o tempo que gastaria no trânsito para ir e vir do curso presencial em estudo.
  2. É possível aproveitar qualquer tempo livre que surge ao longo do dia para assistir aulas, realizar leituras e responder exercícios.
  3. Se mora em uma cidade pequena, não tem que se deslocar até outro município para fazer o curso e também tem mais tempo para estudar.
  4. Você pode se matricular em um curso de excelente qualidade e ter aula com os melhores profissionais do mercado, que dificilmente estariam disponíveis em um curso presencial em sua cidade ou região.
  5. Você não precisa ouvir várias vezes um assunto que já domina porque os outros alunos ainda estão com dúvida sobre aquele tópico.
  6. Você pode repetir quantas vezes quiser as aulas e exercícios de temas em que ainda tem alguma dificuldade.
  7. Seu programa de ensino pode ser personalizado, adequado às suas próprias necessidades. Isso seria impossível em um curso presencial.

Esses são alguns dos benefícios de estudar online. Com todo o tempo livre disponível para o estudo, quem constrói o seu sucesso é você! Quer saber como fazer isso? Então continue a leitura deste post!

Como estudar online e obter melhores resultados?

1. Trace um plano

Você definiu que seu grande objetivo é passar no Exame da Ordem, certo? Então, é a hora de elaborar uma estratégia para isso. Como tudo na vida, estudar requer planejamento.

Para começar, realize uma boa avaliação. Ela deve mostrar quais são os seus pontos fortes e principalmente os fracos. Assim você saberá quais são os tópicos que exigem maior dedicação.

A partir daí, crie uma estratégia de estudos. Determine o tempo que tem para realizar as leituras, atividades e assistir às aulas. Elabore um cronograma: distribua o horário para revisar as áreas em que já possui mais conhecimento e facilidade, mas priorize aquelas em que precisa realmente progredir muito para alcançar seu objetivo.

2. Escolha os melhores cursos

Estudar online é diferente de estudar sozinho. Quando opta por um curso preparatório em uma plataforma, por mais que não esteja em uma sala de aula, o candidato conta com o respaldo e a experiência de quem já trilhou esse caminho e pode organizar o conteúdo da melhor forma para que você também alcance o mesmo resultado.

Além de escolher um curso, é importante pensar na qualidade da instituição. Como já falamos, um dos principais diferenciais do estudo online é a possibilidade de escolher as melhores opções do mercado, independentemente da distância em que essas instituições se encontram.

Então, escolha o curso preparatório que possui diferenciais expressivos em relação aos seus concorrentes: professores reconhecidos no mercado, excelente material didático, um grande conjunto de exercícios são essenciais. Quanto mais ampla e personalizada for a proposta, maiores são as chances de contribuir para o seu sucesso.

3. Mantenha uma rotina regrada

Estudar a distância só altera a relação espacial entre você e seu curso, e não a relação temporal. O que isso quer dizer? O estudante não precisa se deslocar até um local onde ele terá aulas, mas precisa dedicar tempo da mesma maneira, e de forma disciplinada.

Por isso, a melhor opção é realmente estabelecer uma rotina que se encaixe em seu dia a dia. Se possível, sente-se sempre no mesmo horário para estudar e permaneça focado no estudo durante todo o período.

No entanto, se a sua rotina não permite estudar dessa forma, ainda assim crie uma agenda. Determine quantas horas vai dedicar às aulas, leituras e exercícios todos os dias e encaixe-as em seu plano semanal.

E por falar em rotina regrada, não podemos nos esquecer de outros fatores que aparentemente não se relacionam ao estudo, mas são extremamente importantes: estamos falando dos seus hábitos!

Manter uma alimentação saudável e dormir pelo menos um número mínimo de horas diárias também é fundamental para deixar sua mente preparada para receber e reter conhecimento.

4. Tenha disciplina

Depois que você fez a sua agenda, seja firme! Lembre-se que o sucesso vem para quem decide abrir mão de pequenas compensações a curto prazo para ganhar grandes recompensas a longo prazo.

Isso significa que, se aquele amigo telefonar propondo um programa para o seu horário de estudos ou surgir a vontade quase incontrolável de emendar uma maratona de séries, sua resposta será não.

Leve seu horário de estudos a sério como faria se você estivesse em um curso presencial e não pudesse faltar às aulas de maneira alguma.

5. Esqueça o resto do mundo

Estudar online, obviamente, necessita de conexão com a internet. Porém, não é porque a rede está a um clique ou toque que isso significa que você deva manter contato com seus amigos ou ceder à tentação de dar aquela espiadinha nas redes sociais.

Desabilite os alertas de mensagens e foque em seus estudos. Concentre-se realmente em assistir às aulas, realizar os exercícios e leituras propostos, sem qualquer tipo de interrupção. Desligue-se do mundo e conecte-se com seu futuro.

6. Mensure sua aprendizagem

A avaliação funciona como um verdadeiro diagnóstico: ela aponta quais são as áreas deficitárias em que você precisa se concentrar para superar suas dificuldades e atingir seus objetivos.

Portanto, o estudante inteligente é aquele que não estuda cegamente, mas que procura se avaliar constantemente para identificar os pontos que precisam de menos atenção e quais são os que exigem uma dedicação maior. Os exercícios e simulados são um ótimo recurso para essa avaliação.

Em um sistema personalizado de ensino, isso é muito mais fácil. A própria plataforma, com base em seu histórico de desempenhos nos exercícios, prioriza os aspectos nos quais o candidato enfrenta maior dificuldade.

Dessa forma, o estudante tem a garantia de que o tempo que ele passa em frente à tela vai realmente contribuir para que ele preencha as lacunas que faltam em seu conhecimento e se prepare para o tão esperado exame.

E aí, gostou das nossas dicas para estudar online e garantir sua aprovação? Então, que tal dividi-las com seus amigos? Compartilhe este post nas suas redes sociais e mostre que eles também podem conseguir!

Saraiva Aprova: comparativo

Saiba como escolher o curso preparatório da OAB ideal para você

Saiba como escolher o curso preparatório da OAB ideal para você

Buscar um curso preparatório da OAB, via de regra, faz parte da rotina do estudante que está prestes a se formar ou que obteve a graduação em Direito.

Como você já deve saber, a Lei nº 8.906, de 4 de julho de 1994, que trata do Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), estabelece a aprovação em exame de ordem como um dos critérios para se exercer a profissão de advogado. Tal quesito ainda encontra amparo no inciso XIII, do artigo 5º da Constituição Federal de 1988.

Com a necessidade de revisar o conteúdo de praticamente toda a faculdade em poucos meses, para ter uma nota satisfatória na prova objetiva do exame da ordem, o candidato, muitas vezes, não sabe como escolher um curso preparatório da OAB.

Para lhe ajudar nessa tarefa e aumentar as suas chances de passar de vez, apresentamos a seguir algumas dicas de como você pode selecionar a melhor forma de preparo. Confira:

Verifique o histórico da escola no mercado

Um curso preparatório da OAB e um curso voltado para concursos públicos podem ter diferenças significativas. Por isso, é recomendável que você opte por um treinamento voltado exclusivamente para o exame da ordem. Tal opção se justifica pelo fato de um curso próprio para a prova da OAB estar 100% focado nesse tipo de avaliação.

Como você deve saber, as bancas examinadoras podem cobrar assuntos de formas distintas, logo, quanto mais afinado o curso estiver com o exame da ordem, maiores as suas chances de aprovação.

Além disso, mesmo no segmento de cursos exclusivos para a OAB, avalie o histórico da escola que oferece a preparação e privilegie marcas já consolidadas no mercado. Assim, você evita riscos que podem comprometer a sua conquista já na primeira tentativa.

Conheça o corpo docente

Como o Direito possui muitos ramos, é comum o profissional se especializar em uma área. Num curso preparatório da OAB, o ideal é que o corpo docente seja formado por vários professores, especialistas nos diversos ramos do Direito.

Para obter o melhor conteúdo em cada disciplina, é importante que o estudante tenha à disposição aulas de especialistas em cada área. Além disso, o candidato não pode se esquecer de ter uma preparação emocional para a prova, afinal, o aspecto psicológico pode prejudicar o desempenho no exame, principalmente se a pessoa fica nervosa ou ansiosa. Nesse sentido, passar por um processo de coaching para OAB pode ser muito útil para aumentar as chances de aprovação.

Confira o material didático

Revisar o conteúdo de quatro ou cinco anos de faculdade nos poucos meses que antecedem o exame da ordem requer eficiência nos estudos. Para relembrar os conceitos das várias disciplinas e memorizar pontos-chave que podem ser cobrados na prova, o estudante deve dispor de um material didático objetivo, de fácil visualização e interpretação.

Na avaliação de um curso preparatório da OAB, é interessante você saber quais tipos de formatos são usados pela escola em questão, por exemplo, videoaulas, slides, material de texto em PDF etc.

No caso dos conteúdos escritos, considere também a forma de apresentação dos assuntos, já que páginas ilustradas e com mapas mentais contribuem para a fixação da matéria.

Avalie a oferta de material complementar

Você já deve ter ouvido falar que o exame da ordem possui um nível de exigência alto para a obtenção da aprovação. Logo, é recomendável que o estudante disponha de material complementar ao longo da preparação, como livros e o Vade Mecum, para aumentar as chances de obter uma nota satisfatória na prova eliminatória do exame da ordem.

Como o Direito requer bastante fundamentação teórica por parte do estudante, é recomendável ter à disposição materiais complementares, para se ter um rendimento suficiente para aprovação nas provas.

Considere a infraestrutura do curso preparatório da OAB

A cada edição da prova unificada da Ordem dos Advogados do Brasil, milhares de estudantes se inscrevem. Da mesma forma, grande é o número de alunos que procura por um curso preparatório da OAB.

Para dar conta do recado, a escola que oferece o treinamento deve ter uma excelente infraestrutura, de modo a atender com qualidade à demanda. Por exemplo, um curso presencial deve oferecer uma sala adequada para aulas, uma biblioteca, materiais didáticos etc.

Já um curso feito na modalidade de educação a distância precisa oferecer acesso permanente para o aluno durante a contratação do serviço, logo, não deve haver quedas de servidor. Além disso, é importante avaliar o chamado ambiente virtual de aprendizagem, para saber se ele dispõe de recursos que facilitam a compreensão dos conteúdos, como materiais em várias linguagens. Também é recomendável analisar o suporte oferecido pela escola, por exemplo, para se tirar dúvidas acerca do curso pela internet.

Analise o método de ensino presencial ou a distância

Um quesito importante na escolha de um curso preparatório da OAB é o método de ensino. Muitos alunos gostam do modelo presencial, por valorizarem uma rotina de aulas, como havia na faculdade.

Já outros preferem a flexibilidade de um curso feito pela internet, em que podem estudar de casa, do trabalho etc., nos horários mais convenientes, bem como podem dispor de diferentes linguagens, como escrita, visual e audiovisual.

Ao avaliar o método de ensino, cheque se ele pode ser personalizado de acordo com as suas próprias necessidades, por exemplo, por meio de um roteiro customizado de estudos, que leve em conta as áreas em que você mais tem dificuldade.

Em determinadas plataformas de ensino online, a vantagem é que o estudante pode assistir às aulas várias vezes e, se precisar, voltar o vídeo para entender melhor a explicação, o que não é possível num curso presencial.

Leve em conta a existência de exercícios e simulados

Estudar a teoria é importante, porém, você será avaliado por questões inicialmente objetivas no exame da ordem. Por isso, além de contar com um conteúdo de qualidade, o curso preparatório da OAB deve também oferecer maneiras de o estudante checar o próprio nível de aprendizado, por exemplo, por meio de exercícios e de simulados.

Nesse sentido, o benefício de fazer o curso numa plataforma online é que o aluno pode acompanhar a evolução da aprendizagem, por meio de indicadores.

Dessa forma, é possível chegar ao dia da prova com mais segurança e, assim, ter a nota necessária para a aprovação. Afinal, ao fazer simulados com antecedência, o estudante avalia forças e fraquezas, para focar nos pontos em que possui maior dificuldade.

Você quer logo mudar de bacharel em Direito para advogado (a)?

Então, conheça a plataforma Saraiva Aprova e veja as vantagens que ela pode oferecer para encurtar o seu caminho em direção à desejada carteirinha da OAB!