Eu não passei na OAB. O que devo fazer?

não-passei-na-oab-o-que-fazer

Você já deve ter lido ou escutado muitos incentivos para não deixar de acreditar no sonho da aprovação no Exame da OAB, especialmente depois de uma reprovação. É comum a tentativa de melhorar o ânimo do próximo quando este acabou de passar por um fracasso, seja profissional ou na vida. Frases inspiradoras surgem quase que automaticamente, como a publicidade nos “descobre” logo depois de examinar um determinado produto: só ele vai aparecer por um bom período em nosso campo de visão.

Será que alguém está também observando nossos fracassos? Claro que sim! O pior desta exposição não são os conselhos inúteis, mas o certo “conforto” que outros que estão na mesma situação tentam passar. De algum modo, se não consegui, é “melhor” que outro também não consiga para eu não ser o único fracassado. Não é assim que funciona? Esconder os erros ou querer dividir com outros é tentar evitar uma etapa importante do processo de superação, qual seja, a autoavaliação. Sem encontrar as razões corretas de uma reprovação é ignorar que logo ali ela poderá se repetir.

Portanto, tudo é um grande aprendizado. Muitas pessoas me perguntam se há um “lado positivo” de uma reprovação. A resposta é sempre sim! Não tenho dúvidas sobre isso, porque o tempo acaba ensinando “à força” as lições que deveriam ter sido compreendidas ao tempo da derrota. Não que a prova da OAB (ou qualquer outro desafio) precise se tornar um obstáculo eterno para ensinar algo a alguém, o fato é que a urgência é relativa, o que pode ser urgente para um, pode ter outro valor para aquele que desiste logo na primeira frustração.

Você somente será aprovado se já resolveu suas “pendências” com a reprovação anterior (ou anteriores), caso contrário, o Universo vai lhe devolver, novamente, mais uma chance de superação pessoal, porque ao final o objetivo não é “passar ou não passar”, mas sim, de conquistar a si mesmo. O Exame de Ordem é apenas uma prova na sua vida, pois não tenho dúvidas que você já enfrentou muitas delas até este momento e que perderam importância com o tempo, mas o que ficou é o “acumulável”, ou seja, a formação da capacidade de enfrentar desafios e superá-los mesmo depois de diversas derrotas.

Portanto, a próxima prova do domingo deve ser encarada como mais uma e não a última refeição antes de passar pelo corredor da morte. Alivie a sua própria pressão, porque imagino que muitos outros já estejam pressionando pela aprovação. Então, para que piorar? Na hora da prova, o que você estudou precisa estar contigo; o que não estudou, deixe que a sorte faça o seu serviço. Criar preocupações ou gerar uma ansiedade difícil de controlar farão que os seus estudos se escondam de você quando mais precisar deles. Blinde a sua mente com pensamentos positivos, descarregando suas crenças limitantes.

Por fim, as portas existem para serem abertas ou permanecerem trancadas. Se a porta do Exame da OAB continua trancada para você, provavelmente, você não avaliou a chave que está nas suas mãos ou não encontrou ela ainda ou mesmo está tentando abrir a porta errada. Ela pode ser aberta na força? Acredito que sim, mas leva mais tempo de qualquer outra alternativa anterior. A escolha é sua!

4 comentários em “Eu não passei na OAB. O que devo fazer?”

  1. com certeza não foi desta vez mas, focar nos estudos e acima de tudo acreditar eu sou capaz e que venha o próximo exame. Com a Saraiva Aprova eu alcançarei meu objetivo.

  2. Li abaixo 11 “dicas para passar na OAB de primeira”! Minha cara Daniela, eu não sei se a Saraiva Aprova tem algo a ver com o Renato Saraiva do CERS. Mas se há alguma relação, há também claramente a tentativa de se perpetuar nessa área de preparação ao ingresso da Ordem. O curso do senhor Renata Saraiva o tornou um sujeito rico financeiramente, por vender terrenos na lua. Eu não entendo como um cara como ele se sente feliz com a frustração, a vergonha e a sensação de fracasso, em centenas de milhares de bacharéis em Direito. Todas as suas “onze dicas” remetem o incompetente do aluno ao seu famoso Curso. O que realmente acontece é o retorno de centenas de milhões de reais para a conta bancária do senhor Renato, por conta de um investimento barato onde se tenta “domesticar” outra centenas de milhares de analfabetos, anualmente. Daniela, o que você está fazendo é de uma crueldade sem limites. Tenha absoluta certeza que sairá impune!!!

    1. Olá, Joe! O nosso curso não tem nada a ver com o Renato Saraiva ou com o CERS. Somos outra empresa, relacionada à Editora Saraiva, referência em direito há mais de 100 anos. Acredito que você está nos confundindo 🙁

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *