Estudar sozinho ou em grupo: eis a questão!

estrategia-estudos-oab

– Professor, tenho grande dificuldade de estudar sozinha, me desconcentro fácil porque me falta motivação ou apoio. Na faculdade, buscava a atenção de um grupo de colegas e trocávamos muita informação entre nós. Parece que evolui muito mais do que simplesmente ficar à frente do computador ou lendo sozinha. Tudo isso faz sentido para você?

Não é a primeira vez que recebo este tipo de pergunta e, certamente, não será a última. Ao menos, será a primeira vez que escrevo – publicamente – sobre como lidar com isso. Se você ainda tiver dúvida, fico à disposição para um contato através de e-mail ou pelas redes sociais em privado.

Estudar é um ato solitário?

Para a grande maioria sim. A verdade é que quando iniciamos nossa vida escolar, ainda muito crianças, recebemos apoio dos nossos pais com as lições de casa. Geralmente, o tema de casa é até para ser dividido com os pais, como forma de inclusão na rotina escolar dos filhos. Portanto, aprendemos a estudar não só com os nossos coleguinhas como também com a família por perto. Assim, sentir solidão ao estudar não pode ser considerado como uma doença ou preguiça, em razão das premissas anteriores.

A leitura é si também não é um ato solitário, porque da mesma forma aprendemos primeiro a ouvir para depois aprender a ler. Os pediatras incentivam os pais a lerem para seus filhos, já que servirão de exemplo e prospectarão a curiosidade desde cedo. Se os audiolivros (ou os livros falados) já fazem sucesso para muitos, há uma nova onda que deverá democratizar mais esta experiência segundo especialistas do setor. Veja que aqueles que almoçam sozinhos, mesmo em locais públicos, estão com fones de ouvido como sinal de companhia. Ouvir rádio ou deixar a televisão ligada enquanto exerce alguma tarefa também corresponde ao mesmo desejo de se sentir “acompanhado”.

Portanto, se você tem dificuldades de ler sozinho (a), ouvir é o melhor remédio. Você pode mesmo gravar textos de resumos ou mesmo baixar a legislação no site do Planalto ou escutar podcasts com conteúdo apropriado para os seus estudos. Assistir a vídeoaulas, por outro lado, exige atenção e caso tenha mais gente assistindo ao mesmo tempo pode haver dispersão. Lembre-se que em sala de aula qualquer desvio de olhar pode interromper sua concentração, portanto, se é atenção que está faltando para assistir a vídeoaulas, utilize fones de ouvido.

 

Grupos de estudos são para mim?

O maior problema dos grupos de estudos é bastante relativo, ou seja, ele pode não existir. Explico melhor. Numa sala de aula, como você sabe, há diversos tipos de alunos em níveis de aprendizado heterogêneo. Assim, muitas perguntas podem ser totalmente infantis para você, mas para quem pergunta há uma dúvida a ser respondida. Perde tempo e interrompe a explanação. Mesmo num grupo pequeno de estudos pode ocorrer o mesmo. Portanto, para evitar que os estudos sejam arrastados ou descompromissados, os integrantes do grupo devem estar conectados com os mesmos objetivos.

Claro que haverá desníveis, mas faz parte do processo de auto-aprendizado: explicar e solucionar a dúvida do colega. O importante é que a dedicação deve ser a mesma, com metas e organização dos encontros. Estudar previamente para debater entre os colegas é uma opção que alavanca muito a aprendizagem. Evitar conversas paralelas e sobre assuntos que não fazem parte da reunião tem que ser regra cumprida à risca. Somente nos momentos de descanso é que temas amenos podem ser levados aos participantes.

Sendo assim, quem acha que estes grupos é uma forma de “terceirizar” os estudos, está muito enganado. Aprende-se juntos, mas é essencial fazer o tema de casa, qual seja, estudar por conta para levar o essencial ou o mínimo para compartilhar com os colegas. Desse modo, é possível que o grupo seja levado muito à sério e devolva ótimos resultados. É comum que todos os integrantes de um grupo sejam aprovados na mesma oportunidade. Por esta razão, faz total sentido a pergunta da leitora que iniciei o texto.

Para finalizar, é importante fazer uma autorreflexão sobre seu comportamento diante da realidade do aprendizado. Se você tem dúvidas do que é melhor, experimente! Há tantas formas de estudar que a leitura e as videoaulas, mesmo que sejam as mais populares, são apenas mais umas dentro das possibilidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *