14 erros que você não pode cometer na prova da OAB

A prova da OAB é o maior desafio a ser enfrentado pelos estudantes de Direito logo depois da faculdade. Já falamos muito aqui sobre o que deve ser feito para alcançar a aprovação. Porém, é importante falar também sobre o que não deve ser feito, já que muitas ações dos candidatos podem acarretar sua reprovação.

Os principais erros na prova da OAB — que vão desde a preparação até os segundos finais da 2ª fase — se repetem em todas as edições do exame. São diversos os candidatos que acabam sendo reprovados por motivos bobos, que poderiam ser facilmente evitados.

Para descobrir quais são esses erros e impedir que eles causem a sua reprovação, continue lendo o nosso post de hoje!

1. Não se preparar o suficiente

A falta de preparo dos candidatos é a maior responsável pelo alto índice de reprovação na OAB. É um erro que começa muito antes da prova propriamente dita. Se você não leva os estudos a sério, fica difícil ser aprovado.

Quando falamos “estudos”, não nos referimos apenas à leitura de leis e livros. É preciso criar um cronograma eficiente que contemple momentos de resolver exercícios, fazer revisões e assistir às aulas de um bom curso preparatório.

2. Atrasar-se no dia da prova

É quase inacreditável a quantidade de candidatos que são reprovados na OAB sem sequer terem feito a prova. Em todas as edições do exame, várias pessoas ficam impedidas de entrar por chegarem atrasadas.

Vamos falar a verdade, né? Esse é um dos erros na prova da OAB que não pode ser cometido de jeito nenhum! Se existe um horário para os portões serem fechados, planeje-se para chegar no local da prova com muita antecedência.

3. Portar objetos proibidos

Se você gosta de fazer uma “colinha” para revisar a matéria antes da prova, é preciso tomar o cuidado de descartá-la antes de entrar na sala. Parece bobeira, né? Mas se um dos aplicadores encontrar essa cola ou qualquer outro objeto proibido com você, a reprovação é imediata!

Vale lembrar que o seu celular deve ficar desligado e lacrado na sacola de segurança. A última coisa que você vai querer é que ele toque no meio da prova e seja mais um motivo de eliminação.

4. Ficar nervoso

Todos nós sabemos o quanto é difícil manter a calma diante de um exame tão importante para a carreira jurídica. Ainda assim, é preciso tomar cuidado para que o nervosismo não seja um empecilho ao seu sucesso.

A ansiedade serve apenas para atrapalhar sua concentração. Portanto, fique tranquilo e não se sinta na obrigação de ser aprovado. Esqueça as cobranças e foque apenas na prova!

5. Ficar com sono e fome

Por mais que o estresse esteja consumindo você na véspera do exame, é essencial que tenha uma boa noite de sono. O cansaço pode fazer com que você cometa erros bobos.

O mesmo é válido para a fome. Alimente-se bem antes do exame — evitando gorduras e alimentos que possam causar indisposição — e não se esqueça de levar uma garrafinha de água e algo para comer durante a prova.

6. Não calcular o tempo de passar o gabarito

De nada adianta acertar todas as questões se você não conseguir passar o gabarito para a folha de respostas, não é mesmo?

Um erro comum entre os candidatos é esquecer que, apesar de a prova ter duração de 5 horas, é preciso dedicar cerca de 40 minutos para transferir o gabarito para a folha de respostas.

7. Errar na transferência do gabarito

Como um complemento direto ao tópico anterior, você deve ter muita atenção ao transferir suas respostas para o gabarito oficial. Por isso, é importante dedicar um tempo exclusivo a essa tarefa.

A pressa nesse momento é consequência de dois erros muito comuns: marcar a alternativa errada — letra A em vez da B — ou marcar a alternativa correta, porém na questão errada — marcar a resposta da questão 1 na 2, por exemplo. Em ambos os casos, você perde um ponto que pode ser o diferencial entre a aprovação e a reprovação.

8. Chutar as respostas

Entre quatro alternativas em cada questão, você pode pensar que, ao chutar, tem 25% de chance de acertar… ou 75% de errar!

Marcar uma alternativa aleatória nas questões é um risco que você só deve correr se o tempo da prova estiver esgotando ou se você realmente não souber a resposta. Caso contrário, procure sempre interpretar a questão da melhor maneira possível, ainda que você ache que não sabe a resposta. A sorte não vai ser a responsável por sua aprovação!

9. Identificar incorretamente a peça prática

Os erros na prova da OAB não se resumem apenas à 1ª fase. Pelo contrário, é na prova discursiva que o candidato enfrenta as maiores armadilhas do exame.

A primeira delas é a identificação incorreta da peça prática. De acordo com o edital, essa identificação é a base para a fundamentação do exercício. Seu erro, portanto, zera essa parte da prova. Por exemplo, se você identificou uma petição inicial como mandado de segurança, sua peça sequer será corrigida, ainda que a estrutura esteja correta.

Preste muita atenção nas “dicas” dadas no enunciado para que esse erro não seja cometido. Afinal, errar a peça acarreta a reprovação na segunda fase, já que seu valor é de 5 pontos.

10. Escrever um texto ilegível

Garranchos na peça prática ou nas questões da 2ª fase que tornem a resposta incompreensível aos examinadores também fazem com que a nota seja zero.

Se você é uma dessas pessoas que não consegue decifrar a própria escrita, é preciso tomar cuidado especial e caprichar ao passar suas respostas para a folha final da prova discursiva.

11. Cometer erros de português

Tudo bem que os erros de português, ao contrário dos casos anteriores, não são causas de reprovação direta. Mas, ainda assim, podem acarretar na perda de alguns pontos.

Além do mais, vamos ser sinceros, né? Escorregar grotescamente no português é muito feio para um advogado! Você não precisa ser o professor Pasquale para ser aprovado, mas é bom caprichar no português tanto na prova quanto na prática.

12. Errar a ordem de transcrição das respostas

Temos aqui um erro de pura falta de atenção que pode zerar as questões da 2ª fase.

As folhas de resposta da prova discursiva são separadas por questões. Ao transcrever a resposta da primeira pergunta na folha da segunda, por exemplo, sua nota será zero!

É preciso ter atenção para responder tudo na ordem correta e indicar claramente os subitens de cada questão.

13. Extrapolar o limite de linhas

Cada folha de resposta tem o limite 30 linhas para que você escreva a solução das perguntas (lembrando que são 5 folhas para a peça prática). Qualquer parte do texto que exceda esse limite ou não respeite a área de resposta será desconsiderada.

Ainda que esse erro não zere a questão, você pode perder vários pontos por não conseguir escrever a solução por inteiro. Por isso, é importante fazer bom uso da folha de rascunho e planejar suas respostas de forma direta e concisa.

14. Assinar a peça

Para finalizar, vamos falar sobre o erro mais comum da 2ª fase da OAB: candidatos que assinam ou rubricam a peça prática.

Qualquer meio de identificação do candidato é motivo para zerar a prova! Portanto, escreva apenas advogado no lugar da sua assinatura e coloque reticências ou preencha com XXX as áreas destinadas à cidade, data e número da OAB.

Como você pode ver, a maioria dos erros na prova da OAB podem ser evitados se você prestar muita atenção e deixar a ansiedade de lado. Não se esqueça, obviamente, de focar nos estudos e se preparar para o dia da prova!

E aí, acha que essas dicas ajudaram? Então compartilhe este post nas suas redes sociais para que outras pessoas também saibam como evitar os erros mais comuns na OAB!

25 comentários em “14 erros que você não pode cometer na prova da OAB”

  1. Tenho uma dúvida, hipoteticamente falando, casa uma pessoa redija uma que seria para a provade direito civil na prova de direito administrativo. Nesse caso, mesmo a peça estando plausível e redigida de forma correta, ela sera anulada? Ou nesses a banca avaliará a peça?

  2. Olá,
    primeiro identifiquei a peça como mandado de segurança, fiz em duas folhas, quando estava no meio vi que era agravo de instrumento.
    Fiz um grande X nas folhas do mandado de segurança e segui fazendo o agravo de instrumento.
    O que vocês acham?

    1. Olá, Dri Valle!
      Tudo bem?
      É difícil garantirmos para você se haverá alguma penalização ou não, pois a correção depende muito da avaliação da banca.
      Não gostaríamos de criar uma expectativa para sua correção e ela não ser atendida. Vamos acreditar e torcer para que tudo dê certo!

  3. Eu tava lendo a peça antes de acabar, aí mania d eles caneta na mão, acabou sublinhando uma palavra no texto da peça, isso configura marcação de peça?

    1. Olá, Wagner!
      Tudo bem?
      É difícil garantirmos para você se conta ou não como marcação, pois a correção depende muito da avaliação da banca.
      Não gostaríamos de criar uma expectativa para sua correção e ela não ser atendida. Questões abertas são mais subjetivas!

  4. Boa noite!
    Na prova de segunda fase, se o examinando, ao responder as questões discursivas, colocar a resposta correta, porém não citar os artigos de lei/decreto ou súmulas, terá a questão totalmente anulada?

  5. Nas minhas respostas eu esqueci de colocar as letras A e B , mas respondi na mesma ordem que as perguntas, incuacertei as respostas e mesmo assim tirei zero em todas as questões por não ter colocado as letras! E a confluência entre as perguntas e respostas não vale de nada? A OAB está analisando o conteúdo do candidato ou forma de respostas! No edital suscita a obrigação de colocar mas na prova não consta está ressalva!

    1. O Exame da Ordem é regido pelo edital publicado para o respectivo Exame. Portanto, os critérios de avaliação previstos no edital não precisam ser reforçados no caderno de avaliação do Exame para serem aplicados. Entretanto, o Exame prevê a possibilidade de interpor recurso em caso de discordância com a correção. Cabe à banca examinar.

  6. O enunciado trouxe a data da citação do réu, fiz a prova em civil, onde a peça era uma contestação com reconvenção, no entanto não foi expressamente pedido que fosse informado a data da peça, porém por equivoco, coloquei uma data dentro do prazo de 15 dias para apresentação da contestação, ficando desta forma:
    Local…
    Data: 05/02/2019
    Advogado..
    OAB/…

    O fato de eu ter colocado a data na peça configura identificação da peça?

    1. Olá, Ana.

      Agradecemos a confiança depositada em nossa equipe para averiguar a provável pontuação conquistada por você! No entanto, ainda que a FGV tenha publicado o Gabarito oficial com respostas objetivas, a correção não deixa de ser subjetiva, dependendo do corretor e da forma como a resposta foi formulada. Compreendemos sua ansiedade pelos resultados e torcemos de coração pelo seu sucesso na prova! Porém, para não criarmos nenhuma expectativa diante dessa situação de grande importância, não nos comprometeremos em sugerir o seu desempenho.

  7. Ola, tenho uma grande duvida.
    No caderno de resposta definitivo, transcrevi a peça correta enfim, ao termino da peça não observei que cada no logotipo da folha constava “QUESTÃO 1”, “QUESTÃO 2” e assim por diante e acabei cometendo um grande erro.

    O que eu acabei fazendo, terminei a peça e na pagina seguinte comecei a transcrever as questões, mas da seguinte maneira:
    Questão 1) item A) e a resposta da questão; depois Questão 1) Item B) e transcrevi a resposta da questão e assim sucessivamente. Mas fiz por falta de orientação do fiscal e o nervosismo acabou atrapalhando, o que acontece é que as respostas não foram transcritas nas paginas corretas, mas eu fiz dessa maneira, indicando a Questão e a qual item se referia, será que ha possibilidade da Banca analisar isto?

    1. Olá, Wesley.

      Agradecemos a confiança depositada em nossa equipe para averiguar a provável pontuação conquistada por você! No entanto, ainda que a FGV tenha publicado o Gabarito oficial com respostas objetivas, a correção não deixa de ser subjetiva, dependendo do corretor e da forma como a resposta foi formulada. Compreendemos sua ansiedade pelos resultados e torcemos de coração pelo seu sucesso na prova! Porém, para não criarmos nenhuma expectativa diante dessa situação de grande importância, não nos comprometeremos em sugerir o seu desempenho. Fique tranquilo, pois não deixaremos você com as “mãos abanando”! Você pode conferir, no link a seguir, os comentários da prova escritos pelos nossos queridos Professores Alexandre Salim (Direito Penal) e Bruno Klippel (Direito do Trabalho): <https://blog.saraivaaprova.com.br/2a-fase-exame-xxviii-comentarios-da-prova-de-direito-penal-e-direito-do-trabalho/>.

    1. Olá, Adan.

      Agradecemos a confiança depositada em nossa equipe para averiguar a provável pontuação conquistada por você!

      No entanto, ainda que a FGV tenha publicado o Gabarito oficial com respostas objetivas, a correção não deixa de ser subjetiva, dependendo do corretor e da forma como a resposta foi formulada.

      Compreendemos sua ansiedade pelos resultados e torcemos de coração pelo seu sucesso na prova! Porém, para não criarmos nenhuma expectativa diante dessa situação de grande importância, não nos comprometeremos em sugerir o seu desempenho.

      O que posso te adiantar são trechos do EDITAL da FGV:

      3.5.2. O caderno de textos definitivos da prova prático-profissional não poderá ser assinado, rubricado e/ou conter qualquer palavra e/ou marca que o identifique em outro local que não o apropriado (capa do caderno), sob pena de ser anulado. Assim, a detecção de qualquer marca identificadora no espaço destinado à transcrição dos textos definitivos acarretará a anulação da prova prático-profissional e a eliminação do examinando.

      3.5.8 Quando da realização das provas prático-profissionais, caso a peça profissional e/ou as respostas das questões práticas exijam assinatura, o examinando deverá utilizar apenas a palavra “ADVOGADO…”. Ao texto que contenha outra assinatura, será atribuída nota 0 (zero), por se tratar de identificação do examinando em local indevido.

      3.5.9. Na elaboração dos textos da peça profissional e das respostas às questões discursivas, o examinando deverá incluir todos os dados que se façam necessários, sem, contudo, produzir qualquer identificação ou informações além daquelas fornecidas e permitidas nos enunciados contidos no caderno de prova. Assim, o examinando deverá escrever o nome do dado seguido de reticências ou de “XXX” (exemplo: “Município…”, “Data…”, “Advogado…”, “OAB…”, “MunicípioXXX”, “DataXXX”, “AdvogadoXXX”, “OABXXX” etc.). A omissão de dados que forem legalmente exigidos ou necessários para a correta solução do problema proposto acarretará em descontos na pontuação atribuída ao examinando nesta fase.

      Um abraço!

    1. Bom dia, Gabriela.

      Agradecemos a confiança depositada em nossa equipe para averiguar a provável pontuação conquistada por você! No entanto, ainda que a FGV tenha publicado o Gabarito oficial com respostas objetivas, a correção não deixa de ser subjetiva, dependendo do corretor e da forma como ocorreu esse imprevisto. Compreendemos sua ansiedade pelos resultados e torcemos de coração pelo seu sucesso na prova! Porém, para não criarmos nenhuma expectativa diante dessa situação de grande importância, não nos comprometeremos em sugerir o seu desempenho.

      Estamos torcendo por um resultado positivo.

      Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *